Quinta-Feira, 12 de Dezembro de 2019, 14h:30

Tamanho do texto A - A+

Quadrilha usava programas sexuais para entregar drogas a clientes

Por: LUIS VINICIUS

O delegado Wilson Cibusky, da Delegacia de Repressão ao Entorpecente (DRE), afirmou que a quadrilha presa durante a “Operação Deliveryman”, na manhã de quarta-feira (11), usava de programas sexuais para entregar entorpecentes aos seus "clientes" em motéis.

delivery.jpg

 Os alvos foram presos durante a "Operação Deliveryman"

A informação foi confirmada na manhã de quarta-feira (12), durante entrevista coletiva após a deflagração da ação policial. Na operação foram presas oito pessoas suspeitas de comercializarem drogas, na modalidade “disk entrega”.

“Eles (os usuários) marcam e o suspeitos levam o entorpecente. Isso pode ser em uma rua ou em outro qualquer lugar. Tem situações ai que eles entravam em motéis. Existem algumas pessoas da quadrilha que faz programas sexuais e além da prática financeira, levava os entorpecentes para os "clientes" também”, disse Cibusky aos jornalistas.

Ao todo foram presos, Douglas Guilherme Silveira Chaves de Moraes, 22 anos, Tainara da Costa Barbosa, Irlan do Oliveira do Nascimento, Edson Silva de Almeida, Ruan Junior Botelho da Silva, 31 anos, Franquis Paulo dos Santos, 36 anos, Yrverson Gonçalves de Almeida, 22 anos, e a travesti Natasha Montiny Barbosa da Cruz, 28 anos.

Os mandados judiciais, sendo oito ordens de prisão e 16 de busca e apreensão, foram expedidos pela 13ª Vara Especializada de Delitos Tóxicos de Cuiabá e foram cumpridos nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande.

Além dos mandados, foi pedido pelo bloqueio judicial de mais de R$ 50 mil das contas dos investigados e o trabalho de buscas visa à apreensão de bens adquiridos com atividade ilícita.

As investigações iniciaram no mês de junho deste ano, após análise de denúncias sobre a comercialização de entorpecentes em sistema “delivery”, quando o usuário solicita a substância por telefone e recebe no local combinado para entrega.

Durante as investigações, foi constatada a intensa comercialização de drogas nessa modalidade, demonstrando que as entregas eram realizadas nos arredores de escolas, faculdades, bairros de classe média-alta, condomínios de luxo, Centro Político Administrativo, motéis, restaurantes, entre outros locais.

Após os procedimentos, os suspeitos serão encaminhados à audiência de custódia, no Fórum de Cuiabá, onde o juiz plantonista analisará as prisões e para quais as penitenciárias os suspeitos serão encaminhados.

Leia mais 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei







Mais Comentadas