Mundo Terça-feira, 06 de Dezembro de 2011, 16:41 - A | A

Terça-feira, 06 de Dezembro de 2011, 16h:41 - A | A

NOVA LEI

Mais de 3 mil pessoas negociam carros após nova lei em Cuba

Durante mais de 50 anos, o governo cubano só permitiu comprar ou vender carros de fabricação anterior a 1959

FOLHA DE SÃO PAULO

Os cubanos realizaram 3.310 operações de compra e venda de veículos desde que em novembro entrou em vigor a nova regra que permite estas transações, proibidas durante décadas, segundo dados oficiais divulgados nesta terça-feira.

O jornal oficial "Granma" publicou nesta terça que os escritórios de registro de veículos cubanos emitiram até 25 de novembro 14,63 mil certificados de propriedade de veículos, dos quais 3.310 correspondem a trâmites de compra e venda já concluídos e 994 a doações de veículos entre cidadãos.

Havana foi a província cubana onde foram realizadas mais operações deste tipo, com 543 trâmites de compra e venda e 341 doações.

Em 1º de novembro entrou em vigor o novo decreto que permite a doação e compra e venda de automóveis entre cubanos e estrangeiros residentes no país, e flexibiliza as transferências de propriedade de veículos para quem deixar a ilha em caráter definitivo.

No entanto, foi mantida a restrição para que os cubanos comprem carros totalmente novos em lojas e o governo segue controlando essas aquisições mediante uma permissão outorgada pelo Ministério de Transporte a cidadãos específicos.

Durante mais de 50 anos, o governo cubano só permitiu comprar ou vender carros de fabricação anterior a 1959, a maioria americanos e batizados como "almendrones", cuja sobrevivência nas ruas, graças ao empenho de seus donos para mantê-los em circulação, os transformou em parte da iconografia do país.

FORDS, BUICKS E CHEVROLETS

O parque automotivo privado da ilha se calcula em uns 300 mil veículos, entre os quais há muitos desses antigos e chamativos "Chevrolet", "Ford" e "Buick", assim como os procedentes do antigo bloco socialista, sobretudo da marca "Lada".

A legalização da compra e venda de veículos entre cidadãos é uma das medidas do plano de reformas econômicas do presidente Raúl Castro para "atualizar" o socialismo cubano.

Nas últimas semanas o governo também autorizou a compra e venda de imóveis e anunciou que permitirá os créditos bancários para impulsionar a produção agrícola e o financiamento dos pequenos negócios resultantes da ampliação do trabalho privado no país.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros