Sábado, 15 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

Justiça Segunda-feira, 10 de Junho de 2024, 16:39 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Segunda-feira, 10 de Junho de 2024, 16h:39 - A | A

SERVIÇO ESSENCIAL

MPF vai acompanhar consequências de movimentos grevistas no Júlio Müller

Portaria publicada nesta segunda-feira prevê a abertura de procedimento administrativo para acompanhar o impacto das greves no hospital

RAYNNA NICOLAS
Da Redação

O Ministério Público Federal (MPF) instaurou procedimento administrativo para acompanhar os impactos da greve dos servidores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) no Hospital Universitário Júlio Müller (HUJM), em Cuiabá. Movimento grevista foi deflagrado em março e segue sem previsão para encerramento.

LEIA MAIS: Professores da UFMT protestam no entorno do campus de Cuiabá; veja vídeo

Narra portaria assinada pela procuradora Denise Nunes Rocha Müller Slhessarenko que o HUJM teve os serviços comprometidos por duas greves desde o início do ano. A primeira delas se deu no âmbito da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) que administra a unidade. A paralisação durou três dias.

Logo em seguida, a outra parte do quadro de profissionais do hospital, vinculado à UFMT, aderiu à greve. Após isso, o MPF recebeu notícia de fato dando conta dos impactos dos movimentos grevistas nos serviços do hospital.

Considerando a essencialidade dos serviços prestados pelo Júlio Müller, o MPF decidiu abrir procedimento administrativo para acompanhar as consequências das greves deflagradas tanto pelos empregados públicos vinculados à EBSERH, quanto ao dos servidores da Universidade Federal de Mato Grosso.

LEIA MAIS: MPF pede apuração na realização do “teste da orelhinha” no Hospital Júlio Müller

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros