Justiça Sexta-feira, 01 de Julho de 2022, 13:43 - A | A

Sexta-feira, 01 de Julho de 2022, 13h:43 - A | A

EFEITO DELAÇÃO

Justiça libera imóveis e carros de Riva em ações de improbidade

Ex-deputado diz que precisa vender patrimônio para pagar R$ 92 milhões ao Judiciário

RAFAEL COSTA
Da Redação

Divulgação

image

A juíza da Vara Especializada em Ações Coletivas, Célia Regina Vidotti, autorizou o desbloqueio de patrimônio do ex-deputado estadual José Riva. A decisão foi publicada nesta sexta-feira (1º), no Diário da Justiça, e seguiu parecer favorável do Ministério Público Estadual (MPE).

A defesa pediu a liberação de seis imóveis localizados em Juara (695 km de Cuiabá) e quatro veículos, que são um Toyota Corolla, Audi A4, AudiA3 e Honda Accord. O argumento é que todos serão colocados à venda para o ex-deputado pagar o acordo de colaboração premiada firmada com o Poder Judiciário.

Em troca da redução de pena em processos criminais e cíveis aos quais figura como réu, José Riva decidiu confessar crimes e ainda ajudar na produção de provas que pudessem colaborar com as investigações da Polícia Civil e do Ministério Público Estadual (MPE).

O acordo de José Riva com o Ministério Público e homologado pela Justiça prevê o pagamento de R$ 92 milhões aos cofres públicos. A quantia será paga parceladamente no transcorrer dos próximos anos.

A colaboração premiada de José Riva apresenta lista com 38 nomes de ex-deputados e deputados que supostamente receberam mensalinho na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Os fatos tiveram início em 1995 e alcançaram montante aproximado de R$ 175 milhões.

Riva também disse ao Ministério Público (MPE) que desde 1995 os deputados estaduais gastaram aproximadamente R$ 40 milhões durante negociações para as eleições da Mesa Diretora. Para comprovar os crimes, o ex-parlamentar apresentou transferências bancárias, depósitos, notas promissórias e testemunhas.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Crítico 01/07/2022

JUSTICA injusta

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros