Terça-feira, 28 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,62
libra R$ 5,62

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,62
libra R$ 5,62

Justiça Sexta-feira, 19 de Agosto de 2016, 17:47 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sexta-feira, 19 de Agosto de 2016, 17h:47 - A | A

SÓCIOS NA COMPRA DE FAZENDA

Ex-assessor afirma que Silval repassou R$ 2,5 mi a Riva antes das eleições

JESSICA BACHEGA

Encerrando a segunda semana de oitivas referentes à Operação Sodoma 2, na tarde desta sexta-feira (19), foi ouvida a testemunha convocada pela defesa do ex-deputado José Riva, Otavio Cesar Bucci, assessor pessoal do parlamentar, na Assembleia Legislativa (AL) entre os anos de 2011 e 2015.

 

Jessica Bachega

Testemunha Otavio Cezar Bucci

 O ex-assessor de Riva, na Assmbleia, foi ouvido nesta sexta-feira (19)

O depoimento teve duração de cerca de 40 minutos e começou com a defesa de Riva. Questionado sobre a relação que a testemunha tinha com o réu, o depoente informou que era assessor pessoal do parlamentar e que mantinha também uma relação de amizade com o político. Acrescentou que ele controlava a agenda de Riva e, obrigatoriamente, os atendimentos feitos no gabinete passavam por ele.

 

Indagado sobre se Riva mantinha alguma relação de negócios com o ex-governador Silval Barbosa (PMDB), o ex-assessor afirmou que ambos tinham comprado uma propriedade rural na cidade de Colniza (distante  1.114 km  de Cuiabá). “O combinado era que Riva pagasse uma parcela e Silval pagasse outra. Eles iam intercalar os pagamentos, mas Silval nunca pagava. De forma que Riva tinha que pagar a parcela dele também, assim o ex-governador ficou devendo dinheiro para o deputado”, disse a testemunha.

 

O Ministério Público Estadual (MPE), representado pela promotora, Ana Bardusco, questionou a testemunha sobre o pagamento desta dívida. “Uma vez Riva comentou comigo que Silval tinha passado um dinheiro para ele, que era do pagamento dessa fazenda”, disse. Perguntado sobre o valor pago, a testemunha informou que se tratava de aproximadamente R$2,5 milhões.

 

O assessor falou que o pagamento ocorreu entre setembro e outubro de 2014. Ele não soube informar com precisão a data, mas garantiu que foi antes das eleições, para governador, na qual Riva era candidato.

 

Segundo a testemunha, a dívida referente ao pagamento da fazenda não foi liquidada e que os sócios, Riva e Silval, pagaram cerca de R$ 12 milhões à dona da propriedade. Ele não soube dizer se os pagamentos eram feitos em dinheiro ou cheque nem se eram entregues pessoalmente ou por deposito. 

 

Na segunda-feira (22) prestarão depoimentos os réus,  ex-procurador do Estado Francisco Gomes de Andrade Lima Filho (o Chico Lima), acusado de "facilitar" a liberação de licitações de interesse da organização, o filho do ex-governador Rodrigo Barbosa apontado como membro do esquema, cobrando as propinas das empresas, o ex-prefeito de Várzea Grande Walace Santos Guimarães, as testemunhas Keite Agnes Guimarães Rosa, Márcio Moreno Vera, os delegados  Alexandra C. Mensch Fochone e  Lindomar Aparecido Tófoli, Celso Luiz Pereira.

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros