Cidades Segunda-feira, 19 de Setembro de 2011, 07:30 - A | A

Segunda-feira, 19 de Setembro de 2011, 07h:30 - A | A

OUTRA POSIÇÃO

Sindicato diz que parceria é um dos caminhos para melhorar Saúde

Dejamir Soares, presidente do Sinpen, disse que com a parceria, o Ministério Público deve atuar com mais facilidade

Presidente do Sindicato dos Profissionais da Enfermagem (Sinpen), Dejamir Soares afirmou na semana passada que um dos caminhos para a mudança na saúde de Mato Grosso é na Parceria Público Privada (PPP).

O discurso em maio de 2011, em que Sinpen e Sindicato dos Médicos (Sindimed) estavam mobilizados, inclusive ameaçando fazer greve na rede pública de saúde, era contra  o projeto da Secretaria de Estado de Saúde,  que defendia a implantação da Organização Social de Saúde (OSS), amplamente criticado pelos sindicatos.

Dejamir Soares defende que deve existir alternativas para garantir o aumento de leitos em hospitais, para suprir demanda de Cuiabá, seja feito por PPPs ou até mesmo pela reativação da loteria esportiva de Mato Grosso.

 

Mayke Toscano/Hipernotícias

Dejamir Soares, do Sinpen, acredita que uma das alterntivas é a parceria público privada para a criação dos mil leitos que se tornou bandeira do Sindicato

“Não temos nada contra as OSSs no ponto de vista trabalhista. Agora deve existir um conselho fiscal para ver o que as Organizações estão fazendo e até acredito que o Ministério Público do Trabalho vai fiscalizar e notificar com mais facilidade”, defendeu o Soares.

Dejamir Soares apontou dois caminhos possíveis para melhorar a situação dos trabalhadores da saúde na rede pública. A primeira se refere a contratação de serviços pela gestão pública, que de acordo com o sindicalista, o trabalhador quando é demitido não tem garantias de receber por tempo de serviços prestados. “Hoje um técnico em enfermagem ganha R$ 600”, indignou-se.

A outra possibilidade é que com a parceria privada pode melhorar a fiscalização. De acordo com Dejamir, a atuação do Ministério Público em fiscalizar gestões públicas cai na morosidade. “Acredito que com a PPP's o Ministério Público possa fiscalizar melhor, porque quando a gestão é pública o MP pede para provarmos o que estamos denunciando”, afirma.

Na coletiva realizada na Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa (AL), o Sinpen aproveitou para dizer que estarão fiscalizando a promessa do Governo do Estado em ampliar o número de leitos, que atualmente é deficitária.

A promessa do Governo é que chegue a 940 leitos com todos os hospitais em funcionamento.

Veja os hospitais que devem reativados e construídos:

Ala amarela do Pronto-Socorro – 120 leitos (já concluído)
Hospital Santa Helena – 60 leitos (em fase de finalização)
Hospital da Clínicas – 120 leitos (reativado no 1º trimestre de 2012)
Hospital Neuropsiquiátrico – 210 leitos (em fase de reabertura)
Novo Hospital Universitário Júlio Müller – 250 leitos (estimado para 2015, há três década no papel)
Hospital Central – 180 leitos (há 25 anos espera ser terminado, sem data para conclusão)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros