Quarta-feira, 19 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,43
euro R$ 5,84
libra R$ 5,84

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,43
euro R$ 5,84
libra R$ 5,84

Cidades Quinta-feira, 16 de Maio de 2024, 15:49 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quinta-feira, 16 de Maio de 2024, 15h:49 - A | A

PASSOU POR EUTANÁSIA

Morre elefanta Lady que vivia no santuário de Chapada dos Guimarães

Ela havia se deitado há alguns dias e não demonstrava qualquer interesse em levantar-se novamente, por este motivo, foi proporcionada a morte ao animal

JOLISMAR BRUNO
Da Redação

Morreu nesta quarta-feira (15) a elefanta Lady, aos 52 anos, por eutanásia. O animal vivia no Santuário de Elefantes do Brasil, que fica em Chapada dos Guimarães, a 62 quilômetro de Cuiabá. Ela havia se deitado há alguns dias e não demonstrava qualquer interesse em levantar-se novamente, por este motivo, foi proporcionada a morte ao animal. Originária de um circo, Lady enfrentou desafios, incluindo problemas de saúde relacionados às suas patas.

LEIA MAIS: santuário em Chapada abriga elefantas que eram exploradas em circos e zoológicos

"Antes de se deitar, parte de sua rotina era receber analgésicos três vezes ao dia. Uma pessoa da equipe estava com ela às 22h de segunda-feira e ela estava parada ao lado da grande e linda árvore no primeiro recinto do habitat para machos asiáticos; ela costumava encostar a parte traseira no tronco da árvore e dormir. Às 6h, ela foi encontrada deitada no segundo recinto do mesmo habitat. Verificamos para ter certeza de que ela estava viva, mas ela estava parada e quieta e não deu qualquer indicação de que queria fazer outra coisa senão ficar onde estava", diz trecho da publicação da SEB nas redes sociais, informando a morte de Lady.

Conforme a SEB, a idade de 52 anos de Lady é aproximada visto que não há registros do nascimento dela. Havia alguns sinais ao redor do corpo de Lady de que ela havia se mexido um pouco durante a noite, mas nada indicava que ela tivesse tentado se levantar.

"Durante todo o tempo em que ela ficou deitada, ela ainda estava lá mentalmente, mas parecia menos responsiva do que qualquer elefante que já vimos que ficou caído por qualquer período de tempo. Ela dormia e, ao ser abordada, abria os olhos, mas voltava a dormir. Ela foi monitorada durante todo o dia de terça-feira, continuou recebendo analgésicos, mas não houve alteração em seu estado. Na manhã de quarta-feira, toda a nossa equipe veterinária esteve aqui, incluindo Mateus, Dra. Trish e Dra. Luciana, veterinária de equinos contratada que faz visitas quinzenalmente. Como um grupo de pessoas que trabalha com Lady o tempo todo, nós a avaliamos e tristemente concordamos que Lady parecia ter parado de lutar e estava pronta para partir", completou. 

Além de Lady, outras elefantas vivem no santuário em Chapada que foi criado em 2016. Todas eram animais exploradas em circos e zoológicos. Por este motivo, o local não é aberto para visitação. 

"Sua força, determinação e necessidade de conexão emocional com seus tratadores fizeram dela uma grande professora para todos nós. Ela sempre parecia saber o que queria e parecia a todos nós que ela estava pronta para se libertar da dor com a qual conviveu por tanto tempo. Ela era diferente de qualquer elefante que já encontramos e não esperamos ver outro como ela em nossa vida. Planejamos colocá-la para descansar fora das cercas do habitat, porque Lady estava sempre olhando para ver o que havia além da próxima colina, vale ou clareira gramada. Queremos homenagear a parte dela que queria uma vida que não a contivesse. Agora, seu corpo e seu espírito sabem exatamente isso", encerra o post. 

 

 

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros