Cidades Domingo, 31 de Julho de 2011, 11:34 - A | A

Domingo, 31 de Julho de 2011, 11h:34 - A | A

POLÍTICA DE SAÚDE

Governo quer implantar curso de medicina na Unemat em Cáceres

Método pedagógico será o mesmo utilizado na UFMT; custo deve chegar a R$ 9 milhões no primeiro ano

ALIANA F. CAMARGO
aliana@hipernoticias.com.br

Divulgação
A Cidade Univesitária será o novo Campus de Cáceres e no projeto já consta 12 blocos, um para cada curso ofertado pela Unemat

O Governo do Estado quer implantar o curso de medicina para o campus de Cáceres da Universidade do Estado do Mato Grosso (Unemat), no segundo semestre de 2012 e gastará R$ 9 mi no primeiro ano de curso.

Cerca de um ano atrás, o Governo já havia manifestado a vontade de abrir o curso. O reitor da Unemat, Adriano Silva, disse que a universidade não tinha recursos para instalar um curso tão caro quanto o de medicina, mas o Poder Executivo garante que todos os recursos que forem necessários serão viabilizados para o curso.

A política de implantação da faculdade promete, a longo prazo, minimizar a problemática no Estado com a falta de especialistas médicos e pode ser um avanço para a saúde em Mato Grosso, já que há poucos meses atrás viveu um verdadeiro colapso. “Há cidades do interior que oferecem salários de R$ 20 mil porque não há profissionais que queiram sair da Capital”, afirma o reitor da Unemat.

De acordo com o reitor da Unemat, para o primeiro ano do curso serão necessários R$ 9 milhões para a folha de pagamento de 12 professores que serão contratados temporariamente, técnicos administrativos e infraestrutura do curso. Para os outros anos, a média de investimentos, segundo o reitor, não ultrapassará os R$ 5 milhões.

A Unemat esteve na lista de prioridades na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2012, no qual a  Assembleia Legislativa aprovou no dia 13 de julho, o aumento de 0,5% o aumento de recursos para a Instituição, passando de 2% e para 2,5% da receita corrente do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS).

Os estudos para a implantação, estão sendo finalizados por uma comissão formada por técnicos da Unemat, professores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e consultores de São Paulo que devem finalizar em 60 dias o levantamentos de custo, de aulas práticas e pedagógicas para o curso.

Depois do estudo pronto, a comissão interna apresenta para os Conselhos de Ensino e Pesquisa (Conepe) e Universitário (Consuni). Mas para a implantação do curso o aval também deve partir do Ministério da Educação (MEC).

Divulgação
Salas do novo campus da Unemat que abrigará o curso de medicina. Estrutura pegagógica adotada, será a mesma existente no curso da UFMT

ESTUDO PEDAGÓGICO E AULAS PRÁTICAS

Através da consulta que está sendo feita com a UFMT e com consultores de São Paulo, o método pedagógico que será utilizado é semelhante o utilizado pela faculdade de medicina da federal de Mato Grosso, que visa tornar mais participativo a relação entre professores e alunos através da mistura de aula tradicional e o LBP (Learn Basead Problem) ou aprendizado baseado em problemas.

Sobre as aulas práticas que serão ofertadas desde o primeiro semestre, a Unemat não terá um hospital universitário, mas pretende fazer uma parceria com o Hospital Regional Metropolitano que tem 106 leitos. Podem entrar na parceria, policlínicas da cidade, bem como o Hospital São Luiz, dirigida por uma fundação privada e com o Hospital São Samaritano.

No curso de medicina na UFMT, alunos que encamparam um movimento grevista pelas deficiências que o curso está passando principalmente em aulas práticas, já que o Hospital Universitário Júlio Muller (HUJM) não comporta a demanda de aulas que precisam de aulas práticas, também julgaram que  a mistura de aula tradicional e o aprendizado baseado em problemas é uma boa ideia, mas que ainda não foi bem aplicado pelos professores.

ESTRUTURA

De acordo com o reitor Unemat, o curso vai ofertar 30 vagas a cada semestre, já que na Instituição o vestibular acontece duas vez ao ano. “Eu acredito que Cáceres se tornará referência em Saúde. Entendemos a ansiedade da população pelo curso de medicina, mas estamos tomando todas as medidas para garantir um ensino com qualidade, por isso é fundamental que o Governo garanta os recursos necessários para o funcionamento do curso, sem prejuízo dos cursos e serviços já prestados pela Unemat”, enfatiza o reitor Adriano Silva.

Atualmente, Mato Grosso conta apenas com dois cursos de medicina, sendo que um deles é privado e com custo muito elevado. Ficando atrás de Rondônia, Estado que tem um PIB (Produto Interno Bruto) inferior ao de Mato Grosso, mas que oferece 4 faculdades de medicina.

A Cidade Univesitária, construída no antigo aeroporto da cidade já conta com dois blocos de salas de aula, vila olímpica e ginásio de esporte. O curso de medicina utilizará os laboratórios dos cursos de enfermagem, biologia e educação física.

GERENCIAMENTO

A Unemat não gerenciará as aulas práticas do curso de medicina em hospitais da cidade. A responsabilidade ficará por conta da Secretaria de Estado de Saúde (SES).

De acordo com a assessoria da SES, o secretário da pasta, Pedro Henry, quer ampliar a ideia de cursos de medicina para as cidades de Rondonópolis com a parceria público privada entre Estado e a Universidade de Cuiabá, e na cidade de Sinop estabelecendo parceria com a UFMT.

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

juliane 19/08/2011

Q lixo querer colocar um curso de medicina em um local tao sem estrutura e com um método tao ridiculo e falho ,falo isto pq mes passado estava em greve(faço medicina)...Mas é claro q querem por um curso em qquer lugar afinal pra medico ruim se paga pouco e quanto mais no mercado menor seu valor

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros