Cidades Quarta-feira, 30 de Março de 2011, 19:58 - A | A

Quarta-feira, 30 de Março de 2011, 19h:58 - A | A

ANIVÉRSÁRIO

ETA Tijucal: um ano após inauguração, problemas sem solução!

Novo presidente da Sanecap, Aray Fonseca terá muitos desafios pela frente, inclusive pagar a conta da gambiarra de Wilson Santos

 

Mayke Toscano/Hipernotícias
O novo presidente da Sanecap, o médico Aray Fonseca (PTB), que tomou posse nesta quarta-feira (30.03), a portas fechadas para o conselho de gestores da unidade, enfrentará muitos desafios pela frente.

Além das dificuldades de abastecimento de água em muitos bairros da capital, o grande desafio do novo presidente será rever obras que estão, por assim dizer, incompletas. Um exemplo é o complexo ETA Tijucal, inaugurado no dia 23 de março de 2010. Na época houve muitos transtornos, pois dois dias após a entrega da obra à população várias tubulações se romperam porque estavam velhas e não suportaram a força da água.

O Hipernotícias foi até o Bairro São João Del Rey e conversou com alguns moradores sobre as mudanças após a inauguração. Alguns disseram que houve melhorias, mas apontaram que há muitas outras para serem feitas.

Elisângela Gonçalves, 35 anos, mãe de três filhos, sabe bem o que é conviver com a falta de distribuição de água. Moradora do Bairro há sete anos, ela conta que foi na frente de sua casa que houve o primeiro rompimento do cano dois dias depois da inauguração feita pelo ex-prefeito Wilson Santos. Depois, outros rompimentos foram ocorrendo em ruas diferentes e também no bairro Novo Milênio. O detalhe é que Elisangêla mora a menos de 100 metros da Estação de Tratamento (ETA) do Tijucal.

“Foram dias de agonia”, comenta a dona de casa. “A rua foi toda aberta pelos funcionários da Sanecap, logo em seguida houve um rompimento da instalação do esgoto também; minha casa vivia fechada por conta do mau cheiro; depois disso eles deixaram o buraco, tive que mandar refazer a calçada e a minha caixa de esgoto que eles haviam quebrado”.

A moradora comenta que sempre teve problemas com a qualidade da água e com a tubulação de esgoto. “Meu filho, quando tinha três anos, sofreu com uma infecção no intestino, levamos ele às pressas ao hospital e a médica detectou ser giardia. Ele contraiu através da água. Antes tomávamos do filtro, hoje minha família só toma água mineral”.

A moradora Daniela Moreira, de 28 anos, acusa o problema da qualidade da água que é barrenta. Ela e sua família também sentem cheiro de esgoto que invade a sua casa. A justificativa pode estar nos constantes problemas de entupimento do canal de esgoto. Em sua rua, o canal de esgoto e a rede de distribuição de água estão muito próximos, justificando o mau cheiro que também fica em certos momentos na água.

Sobre a posse do atual presidente Aray Fonseca, Daniela diz que não tem esperanças que vá mudar algo. “Nunca mudou e não é agora que vai mudar, só temos promessas”.

Mayke Toscano/Hipernotícias
Elisângela Gonçalves - longe do ideal.
OUTRO LADO

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Sanecap justificou algumas questões abordadas por moradores e ações que devem ser realizadas a partir da atual gestão.

Sobre as redes antigas, há indícios de gambiarras feitas pelos próprios moradores, danificando o sistema de distribuição. O ex-presidente da Companhia, Antônio Carlos Ventura, implantou em fevereiro deste ano o projeto de remodelação de ramais e cavaletes com o objetivo de combater as perdas e fraudes no abastecimento de água de Cuiabá. Serão necessários R$ 30 milhões para a execução do projeto, que tem previsão para começar em abril deste ano e término no dia 31 de outubro.

Na época do lançamento do projeto, Ventura denunciou a perda de água na capital com a expressiva quantidade de 60% em relação ao total de distribuição. Segundo ele, isso prejudica o faturamento da Companhia e, conseqüentemente, impede melhorias nos serviços da Sanecap.

GAMBIARRA E DÍVIDA

Imagem da Internet
Aray Fonseca, novo presidente da Sanecap

Além de todos os problemas relativos à distribuição, qualidade da água e manutenção do canal de esgoto, o novo presidente da Sanecap também enfrenta um outro percalço. O pagamento da obra realizada pela empresa Conspavi no Complexo ETA Tijucal. A empresa ganhou a licitação e começou as obras de implantação do sistema de abastecimento de água da ETA Tijucal. O projeto ficou em torno dos R$ 40 milhões.

A Conspavi entrou com ordem judicial para que a prefeitura não inaugurasse a obra, já que faltavam 3% do projeto para concluí-la. Segundo Paulo Medeiros, advogado da empresa, o rompimento foi um fato previsto pelos técnicos da empresa, já que foi um pedido do então prefeito Wilson Santos (PSDB) para se fazer uma ”gambiarra, ligando as tubulações novas na rede antiga, para que a obra pudesse ser inaugurada antes da sua sua renúncia para concorrer ao governo do Estado.

Medeiros afirma que a prefeitura de Cuiabá ainda deve R$ 18 milhões para a Conspavi e que espera a medição da obras. “É tão simples medir, refazer o que está fora do que eles consideram como padrão, e pagar, mas a prefeitura deixa de fazer isso pela incompetência do governo”, argumenta o advogado.

Atualmente, a Conspavi ganhou na justiça o pedido de recuperação judicial, deferido pelo Juiz Marcos Aurélio dos Reis, da Vara Especializada de Falência e Recuperação Judicial de Cuiabá, que publicou em edital a relação de credores da empresa. Segundo o advogado, a Conspavi se encontra endividada por falta de pagamento de várias obras, entre elas a ETA Tijucal e o Rodoanel - Contorno Norte/Sul.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Rodrigo Rodrigues 31/03/2011

Tenho certeza que o Dr. Aray fará um brilhante trabalho na sanecap. É jovem,trabalhador e competente.

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros