Terça-feira, 28 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,62
libra R$ 5,62

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,62
libra R$ 5,62

Cidades Segunda-feira, 15 de Agosto de 2016, 16:16 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Segunda-feira, 15 de Agosto de 2016, 16h:16 - A | A

ALERTA

Estelionatários usam WhatsApp como ferramenta para aplicar golpe

REDAÇÃO

Estelionatários estão utilizando o aplicativo WhatsApp como principal ferramenta para aplicar um novo golpe na praça. O alerta é da Delegacia de Estelionato, da Polícia Judiciária Civil, que já recebeu três registros desse tipo de ocorrência, em Cuiabá. Na modalidade, os estelionatários clonam celulares e através das informações do aparelho, utilizam o aplicativo para pedir dinheiro para pessoas próximas aos proprietários.

 

Imagem da internet

internet no celular

 

O golpe tem duas vítimas, a que tem o celular clonado e a outra que é lesada financeiramente. Segundo o delegado José Carlos Damian, para aplicar o golpe, o criminoso entra em contato, através do WhatsApp, com um amigo próximo ou um parente da vítima que teve o celular clonado, perguntando se a pessoa tem acesso ao banco via computador ou celular.

 

Diante da resposta afirmativa, o golpista pede ao amigo faça uma transferência de urgência, com a promessa de devolver o dinheiro em espécie. Ele passa o número da conta em que o dinheiro deve ser depositado para concretizar o crime. As vítimas acabam acreditando na situação, uma vez que o pedido vem direto do número de telefone da pessoa conhecida.

 

O delegado explica que até mesmo pessoas mais esclarecidas acreditam na fraude, por estarem vendo foto da pessoa e o histórico de conversas anteriores. “Como o criminoso tem acesso aos dados do telefone, incluindo as mensagens trocadas pelo aplicativo, ele tem a noção exata sobre o que as vítimas conversam e como se relacionam. Isso possibilita que ele seja ainda mais convincente na abordagem”, destacou o delegado.

 

Para evitar cair no golpe, Damian orienta que antes de fazer qualquer transação bancária a pedido de um parente ou amigo, a pessoa entre em contato por telefone ou pessoalmente, com que está fazendo o pedido. “Os estelionatários sempre estão encontrando novos meios de enganar as vítimas e por isso, a checagem de informações é fundamental”, disse.

 

A Delegacia Especializada de Estelionato, que investiga esse e outros tipos de golpes, funciona na 2ª Delegacia de Polícia do Carumbé, na Avenida Dante Martins de Oliveira s/nº, bairro Planalto, Cuiabá. 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros