Terça-feira, 28 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,62
libra R$ 5,62

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,62
libra R$ 5,62

Cidades Terça-feira, 10 de Maio de 2016, 12:10 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Terça-feira, 10 de Maio de 2016, 12h:10 - A | A

EFEITO RGA

Delegados falam em desrespeito do governador com servidor e planejam reunião para tratar greve

RAYANE ALVES

“É um desrespeito com o servidor público o que o governo do Estado decidiu fazer”. Essa foi a afirmação do presidente do Sindicato dos Delegados da Polícia Civil de Mato Grosso (Sindepol), Wagner Bassi Junior, com relação a atual postura do governador Pedro Taques (PSDB), que decidiu não pagar a Revisão Geral Anual (RGA), dos servidores públicos, em maio deste ano.

 

Arquivo - PJC

Delegados

 

Por isso, a categoria convocou para a próxima sexta-feira (13), às 16h30, uma assembleia geral para discutir a decisão do governo sobre o acréscimo no pagamento. A reunião será na sede da Entidade, que fica localizado no bairro Morada da Serra. Além do RGA, a classe também deverá discutir um indicativo de greve.

 

“Na sexta-feira vamos tomar conhecimento do que os trabalhadores pensam dessa nova normativa, porque o Estado deve cumprir o que define a legislação. Por enquanto, o que podemos adiantar é que estamos tristes com a decisão do governador e não podemos descartar a possibilidade de greve”, disse o delegado.

 

Crise

 

Ao fazer o anúncio aos servidores públicos, o governador destacou que o momento é de união para o enfrentamento da crise. E, neste período, a administração presa para manter a folha de pagamento em dia.

 

“Nós sabemos e temos consciência da crise econômica que abala o Brasil e Mato Grosso. Estamos diante do desafio de manter a folha de pagamento em dia, são R$ 610 milhões por mês. Se atrasarmos o salário, nós não teremos como segurar a quebradeira que isso acarretará”, pontuou Pedro Taques.

 

De acordo com a legislação estadual, em maio, o governo deve fazer a reposição referente à inflação do ano anterior. Os salários deverão ser reajustados conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de janeiro a dezembro de 2015, que foi de 11,27%.

  

O Estado alega que o pagamento da reposição inflacionária teria um impacto de R$ 628 milhões na folha salarial deste ano. Mato Grosso já estourou o limite máximo da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para gastos com salários. Atualmente 50,5% da receita do Estado é destinada ao pagamento de servidores, sendo que o limite máximo é de 49% da receita.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

carlos 10/05/2016

parabéns aos delegados, que arriscam suas vidas e tem direito de garantir seus salários e manter os alimentos de suas famílias. GREVE JÁ.

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros