Brasil Sexta-feira, 26 de Agosto de 2011, 18:22 - A | A

Sexta-feira, 26 de Agosto de 2011, 18h:22 - A | A

DE OLHO

TCU vai fiscalizar convênios do Turismo para a Copa de 2014

Órgão vai auditar todos os 11 contratos e convênios já realizados pelo Ministério do Turismo

DA FOLHA DE SÃO PAULO

Divulgação

O TCU (Tribunal de Contas da União) decidiu na última quarta-feira (24) que vai auditar todos os 11 contratos e convênios já realizados pelo Ministério do Turismo para o programa de treinamento da Copa 2014 (Bem Receber Copa). Numa fiscalização prévia, foram apontados vários indícios de irregularidades nas contratações que já somam R$ 77 milhões, sendo que R$ 44 milhões já foram gastos.

Até a Copa, a previsão do ministério era gastar R$ 440 milhões para treinar 306 mil pessoas. Em alguns convênios, todo o dinheiro já foi repassado, mas não há comprovação de que ele tenha sido concluído. O ministério também não está cobrando que os custos do que é contratado tenham qualquer tipo de parâmetro, segundo o TCU.

"Em resumo, há graves problemas na governança do programa. Não existem, ainda, ferramentas para que o MTur possa mensurar efetivamente os resultados das ações e a disponibilização de indicadores de desempenho consistentes. Essa falha nos processos pode culminar em desperdício ou mesmo malversação de recursos, com a aplicação de cifras consideráveis em ações de baixa ou nenhuma eficácia, com indesejável reflexo no evento Copa do Mundo de 2014", afirma o relatório do ministro Valmir Campelo.

Em nota, o Ministério do Turismo informou que cumprirá as determinações e recomendações do TCU. "Os convênios citados estão sendo auditados pela Controladoria Geral da União (CGU), que ainda não apresentou relatório conclusivo. O Ministério do Turismo não liberará recursos financeiros para os convênios citados até a conclusão dos trabalhos da CGU", informa a nota.

Num dos casos, o governo repassou para treinamento de trabalhadores de locadoras de veículos R$ 2 milhões. O convênio deveria ter terminado em 2009, foi prorrogado até o fim de 2011, mas apesar de todo o dinheiro ter sido liberado, o programa não foi concluído.

Entre os convênios que sofrerão investigação está um com a Abetar (Associação Brasileira das Empresas de Transporte Aéreo Regional) no valor de R$ 1,2 milhão. Segundo o órgão de controle, as metas contratadas não estão sendo cumpridas apesar de 90% dos recursos já estarem liberados. A diretoria da ONG nega irregularidades.

Conforme a Folha mostrou em dezembro de 2010, o diretor da Abetar, Apostole Lazaro Chryssafidis, coordenou a campanha à prefeito do PT em São José dos Campos (SP) e a entidade recebeu emenda parlamentar do presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), no valor de R$ 130 mil para eventos com recursos do Ministério do Turismo.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros