Brasil Segunda-feira, 01 de Agosto de 2011, 18:18 - A | A

Segunda-feira, 01 de Agosto de 2011, 18h:18 - A | A

CRISE

PT diz concordar com explicações de ministros ao Congresso

Além dos ministros, a oposição também quer convocar o diretor-geral da ANP e o presidente do Incra

DA FOLHA DE SÃO PAULO

Os líderes do governo e do PT na Câmara, deputados Cândido Vaccarezza (SP) e Paulo Teixeira (SP), disseram nesta segunda-feira (1º) que concordam com a ida de ministros ao Congresso para falar sobre supostas irregularidades em suas pastas.

Os dois ressalvaram, porém, que deve haver convite, e não convocação.

A oposição anunciou que pretende apresentar requerimentos para convocar cinco ministros: Agricultura (Wagner Rossi), Transportes (Paulo Passos), Minas e Energia (Edison Lobão), Desenvolvimento Agrário (Afonso Florence) e Cidades (Mário Negromonte).

A ofensiva acontece tanto no Senado quanto na Câmara.

"Eu sou favorável que os ministros sejam convidados para falar sobre suas pastas e eu não vou criar dificuldades", afirmou Vaccarezza (SP). "Qualquer ministro que for convidado, nós concordaremos. Concordamos com qualquer esclarecimento prestado à sociedade brasileira", disse Teixeira.

Os dois líderes também falaram sobre a diferença de tratamento dada ao casos de suspeitas de irregularidades nos ministérios do governo Dilma. O PR reclama que a cúpula no Ministério dos Transportes caiu por acusações menores das que foram feitas contra o Ministério da Agricultura.

Para os petistas, um dos fatores que mais conta pontos para a permanência de ministros e seus subordinados é a condição política. "Minha avaliação é que não foram só as denúncias, mas também uma decisão política", disse Vaccarezza, referindo-se à queda de mais de vinte pessoas do Ministério dos Transportes.

Além dos ministros, a oposição também quer convocar o diretor-geral da ANP (Agência Nacional do Petróleo), Haroldo Lima, e o presidente do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), Celso Lacerda.

Vaccarezza participou de reunião nesta segunda-feira no Palácio do Planalto e negou que a crise tenha sido discutida.

RETORNO

Os líderes petistas negaram que a crise em diversos ministérios do governo possa influenciar os trabalhos no retorno do Congresso. Nesta segunda-feira, o PT reúne sua bancada para tratar das prioridades do semestre. E, segundo Teixeira, o partido quer votar principalmente as reformas políticas e tributárias.

O financiamento para a saúde, as 40 horas semanais da jornada de trabalho e a emenda constitucional contra o trabalho escravo também foram apontados como prioridade.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros