Terça-feira, 16 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,94
libra R$ 5,94

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,94
libra R$ 5,94

Política Quinta-feira, 01 de Dezembro de 2022, 11:17 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quinta-feira, 01 de Dezembro de 2022, 11h:17 - A | A

INVASÃO DE RESIDÊNCIA

Mauro Mendes reage à ação truculenta de delegado no Florais: "caso precisa ser apurado"

Após repercussão negativa, Bruno França pediu afastamento da função

DA REDAÇÃO

Christiano Antonucci

Mauro Mendes

 

O governador Mauro Mendes (UB) reagiu à ação truculenta registrada no condomínio Florais dos Lagos, envolvendo o delegado Bruno França Ferreira, na noite de segunda-feira (28), em Cuiabá. Para o governador, a situação precisa ser investigada e os fatos, esclarecidos.

“A Secretaria (de Segurança) e a Polícia Civil já falaram sobre isso. Eu concordo com a nota deles, tem que ter uma apuração, realmente, à altura do que aconteceu. Eu acho que eles devem, provavelmente, afastar esse delegado, fazer uma apuração e, dentro do que estabelece a legislação, para o devido tratamento”, comentou Mauro Mendes , na manhã desta quinta-feira (1°).

Bruno França arrombou a porta de uma casa localizada no condomínio de luxo, acompanhado de três policiais do Grupo de Operações Especiais (GOE). Câmera de segurança mostra que ignorou a presença de uma criança de quatro anos e ameaçou "estourar a cabeça" da mãe da menina. Segundo informações, a mulher é alvo de medida protetiva por ameaças contra o enteado do delegado.

LEIA MAIS: Polícia diz que delegado agiu por conta própria ao invadir casa no Florais dos Lagos

Tudo teria começado por conta de uma briga entre o adolescente e o filho da mulher. Após repercussão negativa, Bruno pediu afastamento da função.

LEIA MAIS: Delegado filmado invadindo casa no Florais dos Lagos pede afastamento da Polícia Civil

O delegado afirmou que solicitou à Corregedoria o afastamento não remunerado pelo prazo de 30 dias, renováveis por mais 30, se entender necessário, ou até o final das apurações.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros