Sábado, 25 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,61
libra R$ 5,61

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,61
libra R$ 5,61

Política Terça-feira, 12 de Abril de 2016, 16:39 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Terça-feira, 12 de Abril de 2016, 16h:39 - A | A

ACABOU A MARACUGINA

Frente Parlamentar estuda recorrer à Justiça para garantir retomada das obras do VLT

FERNANDA ESCOUTO

“Gastou R$ 4 milhões para se falar o óbvio”. Essa foi a avaliação do deputado Emanuel Pinheiro (PMDB) sobre a contratação da KPMG Consultoria pelo Governo do Estado para realizar os estudos de viabilidade do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que foram apresentados nesta segunda-feira (11) à Assembleia Legislativa.

 

Ronaldo Mazza / ALMT

VLT assembleia

Governo apresentou estudo sobre o VLT aos deputados nesta segunda-feira (11). 

A situação das obras do modal foi debatida em reunião da Comissão de Infraestrutura Urbana, em parceria com a Frente Parlamentar em Prol da Retomada e Conclusão das Obras do VLT, com a participação do secretário de Cidades, Eduardo Chiletto, e do secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques.

 

“Nós da Frente Parlamentar entendemos que o Poder Público não pode colocar um centavo a mais nas obras do VLT, mas o governo tem o dever de concluir as obras. Um ano e quatro meses já se passaram e a obra está cada dia mais cara”, disse Pinheiro.

 

O parlamentar informou que o próximo passo agora é convocar o Consórcio VLT para expor sobre a real situação contratual das obras. A decisão será debatida entre os membros que compõem a Frente Parlamentar.

 

“Nós estamos convocando o Consórcio VLT, em data a ser confirmada, possivelmente na semana que vem, para ouvir em relação a situação contratual. Caso se confirme, nós vamos entrar com uma ação de obrigação de fazer. Nós vamos entrar contra o Estado e chamar com litisconsorte o Consórcio VLT. Esse termo jurídico é quando duas partes têm a mesma obrigação”, explicou.

 

Durante a reunião, Paulo Taques afirmou que o modal não ficará pronto na gestão Pedro Taques (PSDB). Sobre essa situação, Emanuel Pinheiro destacou que enxerga com “desalento, tristeza e decepção”.

 

“Esperávamos aqui um anúncio efusivo contagiante para a população, ou seja, a decisão política para a retomada das obras. O que vimos aqui hoje foi um protocolo de boas intenções, que, aliás, já estamos cansados de ouvir, que eles pretendem, há um desejo, intenção de retomar as obras. Depois de um ano e quatro meses, a gente ter que ser obrigado a ouvir isso... acho um desrespeito com a população, e é por isso que a Frente Parlamentar está estudando os caminhos para entrar com uma ação de obrigação”, pontuou.

 

Apesar da perspectiva de entregar uma obra não finalizada para o futuro gestor do Estado, o chefe da Casa Civil garantiu que esse processo será feito com responsabilidade e que Pedro Taques deixará todas as condições para que o futuro governador termine essa obra.

 

“Uma retomada com responsabilidade é um chavão quem não tem que seja contra, agora uma obra retomada com responsabilidade e agilidade. Faltam 19 meses para o fim do governo, pelo menos do primeiro mandato, não sei se ele vai à reeleição. Acho que esse chavão é para esconder a inércia, a letargia, a paralisia total do governo em relação ao VLT”, retrucou Pinheiro.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

[email protected] 15/04/2016

PERGUNTINHAS BÁSICAS já ta na hr de mudar de nome, pq ta na cara que tudo o que criticam acerca do governo voces tao aí pra falar mal e deixar o governo fazer o que qr. Se o o emanuel nao fiscalizou no governo passado, que pena, deixe que ao menos fiscalize agr. E se eu bem me lembro, o pedro taques era membro da comissao do senado de fiscalizacao... Pq nao fiscalizou? ou ao menos nao planejou uma solucao se ja pensava em ser governador? Eu tenho a resposta: pq quer ficar prendendo todo mundo ao inves de administrar

positivo
0
negativo
0

Carlos Nunes 13/04/2016

Somente agora é que o ex-presidente da Secopa, o Maurício Guimarães, disse em seu depoimento que...quando a comitiva fez a viagem à Portugal, para conhecer o VLT, lá disseram que o VLT português, dava um prejuízo anual de 1 BILHÃO DE REAIS. Por que ele não contou essa estória antes? Se sabiam que o negócio lá dava prejuízo, por que trazer uma coisa que, no final, vai dar prejuízo para o Estado e para Cuiabá? O ruim é que no final, somos nós que vamos pagar a conta. O negócio vai ser o seguinte: o povo não vai aceitar nunca um preço de passagem caro; aí o governo vai ter que dar Subsídios, começando com 37,5 MILHÕES DE REAIS, por ano, de acordo com os siteS...cada ano que tiver reajuste, mais subsídios. Mas afinal de contas O QUE SÃO SUBSÍDIOS? Dinheiro público, nosso dinheiro - fruto do Nosso Trabalho e do Pagamento dos Impostos, que podia ser aplicado em atividades mais essenciais. No final somos nós que vamos pagar essa conta, porque o dinheiro É NOSSO. Vai faltar dinheiro para a Saúde, mas subsídio para o VLT não pode faltar, porque senão a cidade para.

positivo
0
negativo
0

M. Mattos 13/04/2016

Este deputado é totalmente desfocado da realidade. Parece que vive em outro mundo com opiniões infantis e irresponsáveis já que à época da maracutaia da troca do modal de BRT para VLT ele já era deputado. Porque não demonstrou todas essas suas preocupações quando desde o início era claro e nítido que a obra não teria as mínimas condições de atender a Copa, aliás previsto no parecer do Assessor do Ministério das Cidades que condenou o cronograma como sendo inviável? Esquisito que só agora o Deputado venha com ameaças até de entrar na justiça para que o novo governo prossiga e que a termine antes do final do mandato do atual governador que está correto em não incorrer na irresponsabilidade, incompetência e desonestidade daqueles que criaram propositadamente o enorme problema, sem antes se cercar de todos os cuidados especialmente da origem dos recursos. Governador Taques se não conseguir equacionar o problema dos recursos, deve imediatamente e definitivamente abandonar a obra antes que as consequências fiquem maiores e irreparáveis. O deputado deveria mesmo estar na CPI das imensas obras inacabadas que tanto prejuízo tem causado ao Estado para apurar as falcatruas da administração anterior e manda-los todos para a justiça para que respondam pela corrupção. Melhor faria o deputado se ajudasse o governador a equacionar o problema da origem dos recursos. Menos deputado, bem menos... Ajude mas não atrapalhe.

positivo
0
negativo
0

Carlos Nunes 12/04/2016

Ih! Dizem que não tem dinheiro nem para pagar o salário dos funcionários públicos em dia, dar-lhes o aumento e as reposições salariais; não tem dinheiro para a Saúde, e assim vai. Aí o deputado amante do VLT, vai entrar na Justiça para tocar a obra. A certo tempo, ele queria fazer uma reforma na Constituição do Estado, para colocar o VLT como direito constitucional. Aí comparou a cidade do Rio de Janeiro, que tem mais de 6 Milhões de Habitantes, com Cuiabá, que possui apenas 580 Mil, de acordo com estimativa do IBGE...dizendo viu, se estão fazendo lá, podem fazer aqui. Sinceridade: a gente começa a desconfiar desse interesse exagerado do deputado pelo VLT. Torna-lo um direito constitucional? Que compromissos ele fez, com alguém, para insistir tanto com isso? A verdade ainda vai aparecer. Se a gente tivesse feito muitas perguntas semelhantes, quando o Silval disse que ia comprar as composições do VLT, antes de ter feito os trilhos e as Estações, essa novela do VLT nem teria começado. Agora fica parecendo que o Taques é que vai fracassar com o VLT, mas VLT é só uma obra fracassada do Silval mesmo. Não podemos deixar abrir Cuiabá, sem antes ter feito todas as perguntas, e obtido todas as respostas. Senão depois, além do VLT não funcionar, ainda pode implodir o sistema já precário de ônibus, porque aonde passará o VLT, não passará mais ônibus.

positivo
0
negativo
0

PERGUNTINHAS BÁSICAS 12/04/2016

O EMANUEL PINHEIRO DEVERIA TER COBRADO O SILVAL BARBOSA, QUE FOI QUEM DEVERIA TER CONCLUÍDO A OBRA. CREIO QUE ELE DEVA ACHAR TOTALMENTE NORMAL A AQUISIÇÃO DOS TRENS (COMPOSIÇÕES), SEM QUE OS TRILHOS E DEMAIS OBRAS DE ARTE ESTIVESSEM CONCLUÍDAS. O QUE VOSSA EXCELÊNCIA TEM A DIZER SOBRE ISSO? SOBRE "PASSAR O CARRO NA FRENTE DOS BOIS"???? POR QUE PACTUOU COM ISSO??? POR QUE NÃO COBROU PARA QUE A OBRA FÍSICA FOSSE EXECUTADA ANTES DA AQUISIÇÃO DOS TRENS??? QUAL A VANTAGEM EM INVERTER ESSA ORDEM (COMPRAR AS COMPOSIÇÕES ANTES DE CONCLUIR OS TRILHOS)???? SÃO ALGUMAS PERGUNTINHAS BEM BÁSICAS QUE O NOBRE DEPUTADO PODERIA NOS RESPONDER....ANTES DE JOGAR A CULPA NO SUCESSOR, QUE TEM MOSTRADO QUE ESTÁ MAIS PARADO QUE ÁGUA DE POÇO!

positivo
0
negativo
0

5 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros