Sábado, 25 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,61
libra R$ 5,61

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,61
libra R$ 5,61

Política Sexta-feira, 08 de Abril de 2016, 14:51 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sexta-feira, 08 de Abril de 2016, 14h:51 - A | A

PARCERIA

Estado já investiu mais de R$ 91 milhões na Saúde em Cuiabá

REDAÇÃO

Em menos de um ano e meio de gestão, o Governo de Mato Grosso investiu R$ 91,9 milhões para a área da saúde de Cuiabá. Os investimentos foram para atenção básica, média e alta complexidade, além de repasses para unidades de saúde. Contudo, cerca de 10% da quantia, ou R$ 9,9 milhões, foram empregados para quitar dívidas e pendências deixadas pela gestão anterior.

 

No início de 2015, a Secretaria de Saúde (SES) precisou realizar pagamentos que estavam com até quatro meses em atraso, como o Programa da Saúde de Família (PSF), que não recebia repasses desde o mês de setembro de 2014.

 

Desde então o Estado vem fortalecendo a parceria com a capital, que é responsável por atender boa parte da demanda de Mato Grosso por ser referência em diversas especialidades médicas.

 

Imagem da Internet

Hospital Sao Benedito

Hospital São Benedito

Foram necessários mais de 30 anos para que os cuiabanos pudessem contar com um novo hospital público e isso somente foi possível graças à parceria do Estado com a Prefeitura de Cuiabá e o Ministério da Saúde. O governo estadual se comprometeu a repassar R$ 2 milhões por mês para ajudar na manutenção da unidade. 

 

Inaugurado em julho de 2015, o Hospital São Benedito recebeu um investimento de R$ 16,5 milhões. A quantia foi utilizada na realização de procedimentos ambulatoriais e hospitalares. Além dos repasses mensais, o Governo do Estado também empregou R$ 500 mil na reforma do prédio e compra de equipamentos.

 

Após adequações físicas para a criação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), centro cirúrgico, melhorias nas instalações, o hospital ganhou quatro salas de cirurgia e 126 leitos, sendo 30 para UTI e cinco para Regulação Pós-Anestésica (RPA).

 

A expectativa era que o hospital desafogasse as filas de espera das outras unidades da capital e, em menos de três meses de funcionamento, a unidade realizou mais de 500 cirurgias de ortopedia e neurologia e zerou a fila de espera para cirurgias neurológicas no Estado.

 

José Medeiros/GCOM MT

Pedro Taques - Mauro Mendes - obras pronto socorro

Novo Pronto Socorro

O Governo do Estado tem trabalhando junto com a Prefeitura da capital para a construção do novo Hospital e Pronto-socorro Municipal de Cuiabá, que está sendo erguido no bairro Ribeirão do Lipa.

 

O Estado repassará R$ 50 milhões para investimentos na obra, o que corresponde a 65% do valor total licitado, que é de R$ 76,9 milhões. Por meio da Secretaria de Estado de Saúde, a Prefeitura de Cuiabá também receberá recursos para custeio dos serviços.

 

O valor total será dividido em 7 parcelas, sendo quatro de R$ 5 milhões e três parcelas de R$ 10 milhões. O Estado já repassou ao fundo municipal de saúde R$ 10 milhões para a construção da unidade hospitalar e aguarda o processo de prestação de contas para repassar, mensalmente, os demais valores.

 

A previsão é de que a obra seja concluída em até 18 meses do seu início. A unidade terá 315 leitos, sendo 60 para Unidades de Terapia Intensiva.

 

Alta e média complexidade

Cuiabá é cidade referência no Estado para cirurgias de alta complexidade e recebe pacientes de todas as regiões. Por causa dessa demanda, o Estado repassou aproximadamente R$ 43 milhões para a capital, que reencaminhou o valor a sete hospitais (Amecor, Hospital de Câncer, Pronto Socorro Municipal, Santa Helena, Santa Casa de Misericórdia, Júlio Miller e Hospital Geral) contratados pela prefeitura.

 

Para o custeio de serviços de média complexidade foram transferidos aproximadamente R$ 3 milhões e mais R$ 4,5 de custeio da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na Morada do Ouro.

 

A SES repassa mensalmente para o município de Cuiabá o valor de R$ 3.108.805,67 para custeio de serviços e procedimentos ambulatoriais e hospitalares de alta complexidade. Deste total, R$ 1.378.419,74 é destinado ao Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá.

 

Além disso, a SES repassa um aporte financeiro para contratação de 100 leitos de retaguarda suplementares nas clínicas médica e cirúrgica aos pacientes assistidos pelo HPSMC. Conforme portaria 023/2016, de 28 de janeiro de 2016, o repasse é no valor de R$ 900 mil/mês, com a vigência de 12 meses. Até o momento R$ 6,3 milhões já foram repassados.

 

O Estado também garantiu, por meio da portaria 057/2016, um repasse financeiro para reforma da Clínica Pediátrica do HPSMC. O processo está na área técnica para empenho e liquidação e deve ser pago ainda em abril.

 

Imagem da internet

Hospital Central

Cidade da Saúde

Em novembro de 2015, o governador Pedro Taques assinou com o Ministério Público Federal, um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para a retomada das obras do antigo Hospital Central, que começou a ser construído em 1984 e não foi finalizado. O objetivo é que o Governo do Estado crie no local a Cidade da Saúde utilizando a atual estrutura não mais para um hospital, mas para unidades de auxílio à saúde.

 

Serão necessários cerca R$ 6,5 milhões para dar início à primeira parte, onde funcionará o Centro de Reabilitação Integral Dom Aquino Corrêa (Cridac).

 

O projeto do governo é levar seis unidades para o local, começando pelo Cridac, cuja escolha se deu devido à condição de atendimento da atual sede e porque não sobrecarregaria o Estado na manutenção, visto que o centro de reabilitação conta com mais de 200 profissionais de carreira da Secretaria de Estado de Saúde.

 

Ações

No início de 2016, o Estado começou a realizar um Plano Emergencial de Enfrentamento à dengue, chikungunya e zika vírus, com a assinatura de um termo de cooperação com a Prefeitura para auxiliar o trabalho realizado pelos agentes comunitários de saúde e agentes de combate a endemias.

 

O Estado investiu R$ 764 mil em ações para o combate ao mosquito Aedes aegypti somente na capital. A quantia foi destinada para a aquisição de equipamento para o combate ao mosquito e bonificações para os agentes.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros