Terça-Feira, 13 de Outubro de 2020, 19h:37

Tamanho do texto A - A+

Emanuel classifica ataques a Emanuelzinho como "desespero de causa"

Por: RAYNNA NICOLAS

O prefeito de Cuiabá e candidato à reeleição, Emanuel Pinheiro (MDB), classificou os ataques ao seu filho, o deputado federal Emanuelzinho (PTB), como "desespero de causa". Emanuelzinho é candidato à prefeitura de Várzea Grande e tem sido associado pelos adversários ao episódio do "paletó", em que o pai aparece em vídeo enchendo os bolsos do terno de dinheiro. 

Marcus Mesquita

WhatsApp Image 2020-09-23 at 17.13.38.jpeg

 

"Esse samba de uma nota só dos meus adversários é um grito de desespero. Vendo a ascensão do Emanuelzinho na política de Várzea Grande, onde ele está subindo a cada dia que passa, bateu o desespero. As fake news, as agressões, as mentiras, as baixarias isso, infelizmente, é da maldade humana dessas pessoas que não tendo propostas, só visam tentar atacar a reputação alheia", afirmou o prefeito em entrevista ao HNT/HiperNotícias.

O gestor também voltou a enfatizar que irá provar sua inocência no caso que ganhou repercussão nacional. De acordo com delações do ex-governador Silval Barbosa e seu então chefe de gabinete, Silvio Araújo, Emanuel Pinheiro estaria envolvido no esquema de "mensalinho" enquanto foi deputado estadual na Assembleia Legislativa. 

O ex-presidente da casa de leis, José Riva, também confirmou a tese, em acordo com a Justiça. 

No entanto, segundo a defesa de Emanuel, o então deputado e atual prefeito recebeu o dinheiro a título de uma dívida de pesquisas eleitorais firmada entre o ex-governador e o irmão de Emanuel, Marco Polo Pinheiro. 

"Eu disse e repito, estou tranquilo, vou provar minha inocência, o ônus da prova cabe a quem acusa, é a palavra de réus confessos contra 32 anos de vida publica sem nenhuma mácula antes desse episódio e depois, o que vou provar é que nada tenho a ver com esse mar de lama e que estava lá para intermediar o pagamento de parte de uma divida com meu irmão", enfatizou. 

"Isso é atestado hoje pela Polícia Federal que reconhece que existia essa divida e pelo proprio homem de confiança do ex-governador e seu chefe de gabinete, que era o Valdeci, que foi quem ajudou o Silvio a instalar as cameras, esse próprio Valdeci já falou na CPI da Câmara Municipal e fez declaração em cartório que eu era um homem errado, na hora errada daquele dia, que eu nada tinha a ver com mensalinho", completou.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei