Sexta-feira, 19 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,58
euro R$ 6,09
libra R$ 6,09

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,58
euro R$ 6,09
libra R$ 6,09

Política Quarta-feira, 19 de Junho de 2024, 20:21 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quarta-feira, 19 de Junho de 2024, 20h:21 - A | A

VEJA VÍDEO

Carlos Fávaro se enrola no depoimento e solta que Lula "sugeriu" pedido de demissão de Neri

Fávaro explicou que a recomendação foi feita durante reunião no Palácio do Planalto em 11 de junho para que não houvesse conflito de interesses na investigação do leilão do arroz

CAMILA RIBEIRO
Da Redação

O ministro da Agricultura e Pecuária (Mapa), Carlos Fávaro (PSD), enrolou-se em seu depoimento à Comissão de Agricultura na Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (19), e soltou que partiu do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a "sugestão" para que o ex-secretário de Política Agrícola, Neri Geller (PP), pedisse demissão. Fávaro explicou que a recomendação foi feita durante reunião no Palácio do Planalto em 11 de junho para que não houvesse conflito de interesses na investigação do leilão do arroz. Segundo o ministro, Neri foi comunicado um dia antes e concordou.  

Fávaro começou a receber os nomes das empresas vencedoras do certame em sua volta da China, em 15 de junho. Ele chegou na madrugada e agendou uma conversa na manhã do dia 16 com o ex-secretário. O ministro contextualizou as questões que relacionavam Neri Geller às suspeitas de fraude e ele as desmentiu. No dia seguinte, Lula "sugeriu" a exoneração. 

"Cheguei na madrugada do domingo e marquei a primeira reunião de manhã com o próprio Neri, depois no Ministério de Desenvolvimento Agrário, com a AGU (Advogacia Geral da União), com a CGU (Controladoria Geral da União) e, depois, remarcamos uma segunda reunião para fazer uma análise mais detalhada da equipe técnica e, na terça-feira de manhã, (marcamos reunião) com o presidente Lula", falou o ministro. 

Foi nesta conversa com o presidente que foi levantada a possibilidade das ações do governo federal serem colocadas em xeque e Lula "sugeriu" o pedido de demissão para 'limpar' a imagem do seu staff. O ministério contou que antes de anunciar o desligamento, ligou para Neri e ele consentiu.

LEIA MAIS: Fávaro diz que exoneração de Neri dá "credibilidade" ao governo, mas isenta ex-secretário

"Na terça-feira de manhã, (marcamos reunião) com o presidente Lula, quando foi dado (sic) os encaminhamentos de cancelar o leilão e o pedido, e a sugestão de que o Neri poderia pedir a demissão para que pudesse ser feita a investigação. Eu liguei para o Neri e ele disse que 'faça o que for', de forma muito cordial, e foi isso que anunciei", esclareceu Carlos Fávaro. 

Mas, na prática, houve um revés e, quando foi questionado sobre a exoneração, Neri Geller afirmou que não tinha nenhum aviso prévio, sendo informado pela imprensa. Fávaro desconversou. 

"Ele deve ter refletido e preferiu dizer que foi demitido, não foi a pedido", opinou o ministro. 

VEJA VÍDEO

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros