Polícia Quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2021, 14:22 - A | A

Quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2021, 14h:22 - A | A

NÃO ACEITAVAM INTERNAÇÃO

Casal é detido por "sequestrar" filho recém-nascido de UTI em hospital

AMANDA DIVINA
DA REDAÇÃO

Um casal foi preso pela Polícia Militar por ter "sequestrado" o próprio filho que havia nascido há quatro dias no Hospital Geral e Maternidade de Cuiabá. A criança nasceu prematura e estava internada na  Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O caso aconteceu na noite de quarta-feira (17).

Reprodução

px5_2-meses_821625_1280-1024x683.jpg

Reprodução

Conforme o boletim de ocorrência, o recém-nascido precisou ser transferido para uma UTI neonatal devido ao quadro de saúde. O filho do casal nasceu com oito meses e pesava 2,9 kg além de apresentar problemas respiratórios.

O bebê também estava usando um um  catéter central de inserção periférica. O objeto que é ligado até o coração, por meio de um tubo, é usado para que os médicos e enfermeiros consigam aplicar os medicamentos.

Segundo as informações, desde que a criança foi transferida para a UTI, os pais apresentaram resistência para mantê-lo internado. Já na quarta-feira, a mãe se aproveitou do livre acesso até a ala e pegou o filho que estava deitado no berço.

Em seguida, a mãe saiu da UTI e correu para fora da unidade médica. Os funcionários do hospital tentaram impedir a mãe de sair com a criança do hospital, no entanto a acusada começou a xingar a equipe. O pai do recém-nascido, que estava esperando no estacionamento do hospital em um carro, foi impedido de deixar o local após conseguirem fechar o portão de saída.

Logo depois, o Conselho Tutelar e a Polícia Militar foram acionados para ir até o local. Questionado sobre o ocorrido, o pai confessou que foi até o hospital com a esposa para buscar o filho, entretanto ele afirmou que o bebê já estava bem de saúde e que não precisava mais de cuidados médicos.

Diante disto, os pais foram conduzidos para uma delegacia onde devem prestar depoimento. Já na unidade, o advogado de defesa do casal alegou que a equipe militar estaria praticando o crime de abuso de autoridade. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros