Quinta-Feira, 27 de Fevereiro de 2020, 09h:25

Tamanho do texto A - A+

Justiça de SP arquiva processo por homicídio contra Júlio Campos

Por: WELLYNGTON SOUZA

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) arquivou o processo que acusa o ex-senador Júlio Campos (DEM) pelo crime de homicídio na capital paulista no ano de 2004. A decisão foi assinada pelo juiz Cláudio Juliana Filho, da 1ª Vara do Júri do Foro Central Criminal no dia 20 de fevereiro.

Alan Cosme/HiperNoticias

julio campos

 

"Nos termos da manifestação do Ministério Público, declaro extinta a punibilidade do réu Júlio José de Campos. No mais, intimem-se as testemunhas Wilton e Nilza nos endereços fornecidos pelo Ministério Público", diz trecho do documento.

Conforme denúncia do Ministério Público Federal (MPF), o ex-senador era acusado de ser o mandante dos assassinatos do empresário Antônio Ribeiro Filho e do geólogo Nicolau Ladislau Ervin Haraly, por suposta briga de terras em São Paulo. Júlio teria encomendado o crime para se apropriar de terras ricas em pedras preciosas.

A propriedade equivale aproximadamente 87 mil hectares. Segundo as investigações, Antônio Ribeiro Filho vendeu à Julio Campos a Agropastoril Cedrobom, em Mato Grosso.

Campos, porém, teria registrado o negócio no nome de dois de seus funcionários justificando que estava com o nome “sujo”, e com “problemas” na Justiça. As investigações apontam que as mortes ocorreram para ocultar o esquema ilegal de repassar a propriedade para laranjas.

A defesa feita pelo advogado Paulo Fabrinny conseguiu arquivar a ação, visto que teria passado tanto tempo que ocorrera a extinção de uma possível punibilidade. Júlio Campos tem 72 anos e por conta disso haveria a prescrição porque a Justiça recebeu a denúncia após onze anos depois dos assassinatos.

A reportagem tentou contato com a defesa do ex-senador e com Júlio, mas as ligações não foram atendidas ou retornadas.

Candidatura ao Senado

O Democratas oficializou a pré-candidatura do ex-senador a disputar à eleição suplementar ao Senado, marcada para 26 de abril pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT). "Estamos preparados, nós não vamos chegar em Brasília para aprender a ser senador, aprender a ser congressista. Já fui parlamentar, sei a função de um senador e o trabalho que tenha que fazer com o povo mato-grossense. Esse é meu diferencial, além disso, não serei um senador de seguimentos, vou ser um senador dos interesses do povo de Mato Grosso e do Brasil”, disse Campos ao HNT/Hipernotícias

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1



1 Comentários

Francismar - 27/02/2020

Fui amigo pessoal e empregado do seo António Ribeiro, falecido em 2004 em Guarujá, SP eu e nhenhum membro da familia do falecido acreditaram nesse blefe a Policia de SP, e depois na denuncia do MPF atraves da "famosa" Claudia Sampaio, acusando o Dr.Julio Campos de ser o mandante deste bárbaro crime. Tanto é que a familia nunca contratou advogado para acusar o Dr.Julio, e fez muito bem prescrever essa ação, sem fundamento nhenhum, a Justiça demorou mais chegou depois de 16 anos com a prescrição dessa safadeza politica.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA



Últimas Notícias