Justiça Quinta-feira, 01 de Dezembro de 2011, 11:42 - A | A

Quinta-feira, 01 de Dezembro de 2011, 11h:42 - A | A

PROGNÓSTICO

Defesa acredita que Josino Guimarães será absolvido pelo Tribunal do Júri

Advogados avaliam que depoimento de empresário vai convencer Conselho de Sentença na sua inocência; julgamento deve acontecer hoje

HÉRICA TEIXEIRA

 

Mayke Toscano/Hipernotícias

 

A defesa do empresário Josino Guimarães acredita em absolvição do réu ao final do julgamento nesta quinta-feira (1). Pela manhã, iniciou-se o depoimento mais esperado de todo o júri, que é de Josino, acusado de mandar matar o juiz Leopoldino Marque do Amaral.

Ao recomeçar o julgamento, que já está no terceiro dia, a defesa do empresário, por meio do advogado João Nunes Cunha Neto, relatou que o réu está com distúrbios psicológicos e até mesmo com síndrome de pânico.

O argumento da defesa é para evitar que a acusação do empresário exija que ele fale algo a mais do que esteja relatado nos autos. A defesa também está otimista com o depoimento.

“O Josino vai falar o que sempre disse. Nunca contratou e nem intermediou nada. Ele conhecia o sargento Jesus, assim como muita gente conhecia. Ele (Josino) só vai falar a verdade”, afirmou.

Nesta quinta-feira, familiares do magistrado assassinado no Paraguais chegaram cedo para as oitivas do empresário.

DEPOIMENTO

“Não concordo com o que o Palmeira disse. Nunca emprestei minha casa para ninguém. Sou muito rigoroso com minhas coisas. Nunca emprestei minha casa para ninguém. Não concordei com o depoimento do Palmeira”, disse Josino, no início do depoimento.

Josino confirmou amizade com o desembargador Odiles de Freitas, mas informou que contato era apenas relacionados a questões profissionais. “Vendi uns quatro caminhões. Fui no TJ para pegar cheque de pagamento. Sou amigo do Odiles, ele já até foi na minha casa. Meu filho é até amigo das filhas dele”, pontuou.

O empresário negou que tivesse qualquer conversa com o sargento Jesus, apenas o encontrou algumas vezes, mas sem nenhum compromisso. “Estive três vezes com o sargento Jesus. Em Chapada foi ele quem me abordou e me disse Josino, vc viu o que saiu no jornal de você? Eu disse que fiquei chateado porque saiu nome dele, tá no lixo”.

Josino relatou que outra vez que falou com o sargento Jesus foi numa campanha de Júlio Campos, atual deputado federal pelo DEM. “Fui a pedido de Júlio levar um presente para esposa de Jesus. Mas não teve mais nenhum contato”.

Quanto ao contato com o juiz Leopoldino Marques do Amaral, o empresário disse que não conheceu o magistrado e não tinha motivos para lhe causar nenhum mal.

“Nunca tive contato com o Leopoldino, fiquei sabendo pela imprensa. Não o conhecia, nunca tive ligações, nunca ameacei. Sempre tive respeito com ele. Não tive ligação com bandido (referindo-se a Jesus)”.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros