Quarta-feira, 24 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,59
euro R$ 6,07
libra R$ 6,07

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,59
euro R$ 6,07
libra R$ 6,07

Economia Terça-feira, 19 de Março de 2024, 15:45 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Terça-feira, 19 de Março de 2024, 15h:45 - A | A

Petróleo fecha em alta, em meio a expectativas por aumento na demanda global

CONTEÚDO ESTADÃO
da Redação

O petróleo fechou em alta nesta terça-feira, 19, em meio a expectativas por aumento na demanda global, diante de tensões geopolíticas, resiliência da economia dos EUA e recuperação do crescimento na China. Contudo, analistas alertam que o "otimismo" pode ter fôlego curto, revertendo os ganhos recentes do óleo.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para maio fechou em alta de 0,69% (US$ 0,57), a US$ 82,73 o barril, enquanto o Brent para maio subiu 0,56% (US$ 0,49), a US$ 87,38 o barril, na ICE.

Com o rali desta terça, os petróleos WTI e Brent renovaram o maior nível desde novembro de 2023 nas máximas intraday, a US$ 83,12 e US$ 87,70, respectivamente. Em nota, o UBS observou que o movimento ocorre em resposta aos sinais de um mercado de energia mais apertado, apesar do fortalecimento do dólar, que tende a encarecer a commodity para detentores de outras moedas. O banco suíço destacou que os dados de demanda têm sido positivos até o momento.

Em geral, analistas apontam que esta perspectiva de aperto na oferta do óleo resulta de um conjunto de fatores: a extensão nos cortes voluntários de produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+), os ataques da Ucrânia em refinarias da Rússia e sinais de demanda e crescimento econômico dos EUA e da China.

Contudo, o TD Securities alerta que isso deixa os mercados de energia "vulneráveis ao declínio no sentimento de demanda". "Os algoritmos estão menos dispostos a prover apoio para o petróleo bruto, onde o prêmio de risco de oferta está baixo e reduz o piso para os preços, deixando os mercados vulneráveis a uma decepção no lado da demanda", afirmou o banco de investimentos.

O Julius Baer também vê fôlego limitado para o rali, considerando que o mercado de energia saiu de um estado de "escassez" para um de "abundância". "Temos dificuldade em compartilhar o otimismo sobre aumento da demanda e preços. A força recente do petróleo e do ouro é guiada em maior parte por sentimento, ao invés de fundamentos, e reverterá a tendência ao longo do ano", projetou o banco. No cenário do Julius Baer, os preços do petróleo devem cair a aproximadamente US$ 70 o barril em 2024.

(Com Agência Estado)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

 

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros