Quinta-feira, 23 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,15
euro R$ 5,58
libra R$ 5,58

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,15
euro R$ 5,58
libra R$ 5,58

Economia Quinta-feira, 16 de Maio de 2024, 14:45 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quinta-feira, 16 de Maio de 2024, 14h:45 - A | A

ONU eleva projeção para crescimento global de 2024, a 2,7%, e do Brasil, a 2,1%

CONTEÚDO ESTADÃO
da Redação

A Organização das Nações Unidas reviu para cima sua expectativa para o crescimento da economia mundial e também, especificamente, o do Brasil, em seu relatório Situação e Perspectivas Econômicas Mundiais, divulgado nesta quinta-feira, 16. Para a economia global, a expectativa para 2024 subiu de 2,4%, em janeiro, para 2,7% agora, e, para a brasileira, de 1,6% para 2,1%.

Para 2025, as projeções são de avanços de 2,8% e 2,4%, respectivamente, revisão para cima de 0,1 ponto porcentual nos dois casos.

O relatório é semestral e afirma, em sua versão desta quinta, que a perspectiva para a economia global melhorou desde janeiro, com grandes economias evitando uma piora acentuada no quadro.

A ONU projeta ainda que os Estados Unidos cresçam 2,3% neste ano (alta de 0,9 ponto porcentual ante a projeção de janeiro) e a União Europeia avance 1,0% (corte de 0,2 ponto), com a expectativa para o Japão mantida em um crescimento de 1,2% neste ano.

Para 2025, projeta alta de 1,7% nos EUA, mantida desde o levantamento anterior, de 1,1% no Japão e de 1,6% na zona do euro, também reafirmadas.

No caso do Reino Unido e Irlanda do Norte, a ONU antecipa avanços de 0,8% neste ano e de 1,5% no próximo, altas de 0,4 e 0,5 ponto porcentual ante as projeções anteriores.

Na América Latina e no Caribe, a ONU espera crescimento de 1,7% neste ano e de 2,4% no próximo, revisões para cima de 0,2 e 0,1 ponto, respectivamente. No México e na América Central, manteve as projeções de alta de 2,6% neste ano e de 2,3% no seguinte.

(Com Agência Estado)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

 

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros