Terça-feira, 21 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,10
euro R$ 5,53
libra R$ 5,53

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,10
euro R$ 5,53
libra R$ 5,53

Cidades Sábado, 22 de Outubro de 2016, 14:35 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sábado, 22 de Outubro de 2016, 14h:35 - A | A

VEJA VÍDEO DE ACIDENTE

Vítima de acidente procura por motorista que fugiu do local sem prestar socorro

RAYANE ALVES

Samya Suzana Ferreira,  27 anos, vítima de acidente no trânsito há um mês na Avenida Jurumirim em Cuiabá, procura pelo motorista de carro que atingiu a motocicleta e fugiu do local sem prestar socorro.

 

De acordo com a vítima, no dia do acidente por volta das 18h30, ela saia com o esposo do trabalho em direção a casa deles que fica no Residencial Alice Novak.

 

“O motorista do veículo estacionou o carro em frente de um escritório que fica próximo de uma distribuidora. Uma das testemunhas informou no dia do acidente que ele estava bebendo no local e só saiu no momento em que pegou no volante e colidiu contra mim e meu esposo”, relatou.

 

Ao HiperNotícias, Samya relatou que como nem ela e o esposo caíram no chão, eles pensaram que o acidente não tivesse tanta gravidade.

 

“Ele tentou fugir no momento da colisão, mas meu marido o cercou e não deixou. Quando eu tentei sair da moto percebi que o sangue escorria e vi o osso do meu joelho, o motorista também viu e falou 'ixi', arrancou o carro e fugiu. Foi uma coisa louca pensei que ia morrer ou ter a perna amputada”, lamentou.

 

Após o acidente, Samya foi socorrida por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levada para o Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC). Ela precisou fazer uma assepsia e costurar o joelho. A vítima trabalha no administrativo de um hospital particular de Cuiabá. 

 

“Fiquei internada quatro dias e depois peguei 30 dias de atestado. Foi turbulento. Tenho um filho de dois anos e minha sogra precisou ficar comigo em tempo integral. Agora, preciso fazer fisioterapia e continua inchado. Porém, já voltei a trabalhar e o motorista continua solto sem pagar conforme o Código Brasileiro de Trânsito. Levei as imagens para identificação da placa e quero Justiça. Precisei ser carregada até para o banheiro e não é justo porque solto ele pode fazer com outra pessoa. Peço que as pessoas que tiverem informações denunciem na polícia”, concluiu.  Veja o vídeo 

 

 

>

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros