Quinta-Feira, 25 de Junho de 2020, 15h:24

Tamanho do texto A - A+

Cuiabá vai distribuir "Kit Covid" com ivermectina, azitromicina e antialérgico

Por: KHAYO RIBEIRO

O decreto nº 7.970 assinado nesta quinta-feira (25) pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) determina em seu penúltimo parágrafo que Cuiabá contará com o “Kit Covid-19” como uma das ferramentas de combate ao coronavírus. De acordo com a normativa, o kit será composto por comprimidos de ivermectina (vermífugo), azitromicina (antibiótico) e um antialérgico para combaterem o vírus. A distribuição dos medicamentos na Capital ainda será regulamentada por meio de portaria específica, como frisou o prefeito  durante coletiva virtual.

Reprodução

comprimido,capsula, remédio, medicamento

 Imagem ilustrativa

Segundo o chefe do Executivo municipal, o Kit Covid-19 estará disponível a todas as pessoas com coronavírus, mas seu uso só será efetuado a partir de prescrição médica e com o consentimento expresso dos pacientes. Medida similar já havia sido sinalizada na última semana pelo gestor, mas foi oficializada por meio deste novo decreto.

Durante transmissão ao vivo realizada em suas contas oficiais, o prefeito apontou que a medida foi amplamente discutida pelo comitê de enfrentamento à pandemia de Cuiabá e que a discussão dividiu opiniões. Contudo, a suposta experiência positiva de outras cidades brasileiras teria sido suficiente para que o projeto fosse oficializado.

“É uma medida que discutimos muito no nosso comitê. Dividiu muitas opiniões, inclusive de médicos, de profissionais da saúde. Mas vimos que no Pará estava dando certo, que no Amazonas estava dando certo, no Amapá estava dando certo. Conversei com autoridades destes estados, conversei com uma junta médica do Amapá, precisamente da capital Macapá”, disse Pinheiro.

“Gente, se está salvando vidas, se estão utilizando nos hospitais privados para salvar vidas, se estão utilizando para todas as autoridades, para os mais abastados financeiramente, se tem segurança, se tem que ter prescrição médica, se não vai ter efeito colateral, por que não utilizar no começo?”, questionou o prefeito.

Contudo, ainda que o decreto oficialize a implantação do Kit Covid-19 na Capital, o prefeito reiterou os apontamentos do decreto e assegurou que todo o processo de aquisição dos medicamentos e futura distribuição ainda serão discutidos e determinados por meio de uma portaria específica, que será assinada pelo secretário municipal de Saúde, Luiz Antônio Pôssas de Carvalho.

Conforme o HNT/HiperNotícias informou, antes mesmo de o decreto determinar a distribuição do Kit Covid-19, as farmácias de Cuiabá já apresentavam estoques reduzidos de ao menos um dos compostos listados, a ivermectina.

De oito farmácias pesquisas em Cuiabá, o remédio está em falta em cinco. Nas unidades em que o medicamento pode ser encontrado, os preços variam entre R$ 27,9 e R$ 48, restando um valor médio de R$ 38,6.

Leia mais:

Procura por ivermectina esgota estoques e farmácias vendem remédio por até R$ 48

Após derrota no TJ, Cuiabá baixa lockdown, barreira sanitária e kit covid

Avalie esta matéria: Gostei +3 | Não gostei