Brasil Terça-feira, 26 de Julho de 2011, 18:08 - A | A

Terça-feira, 26 de Julho de 2011, 18h:08 - A | A

FINALMENTE

Oposição comemora decisão do Ministério Público de investigar Palocci

Apuração do caso Palocci ficará sob responsabilidade do Gedec, braço do Ministério Público

DO VALOR ONLINE

O líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), comemorou a decisão anunciada na segunda-feira (25) pelo Ministério Público Estadual de São Paulo de abrir investigação sobre suposto crime de lavagem de dinheiro envolvendo a compra do apartamento ocupado desde setembro de 2007 pelo ex-ministro Antonio Palocci (Casa Civil), em Moema, zona sul de São Paulo.

Em seu blog, o tucano afirmou que a "novela Palocci está longe do seu último capítulo". "Os indícios apontam para a prática de atos simulados com a utilização do chamado laranja", disse.

A representação apresentando por Dias e os senadores Demóstenes Torres (DEM-GO) Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) motivou a decisão do Ministério Público de abrir a investigação.

A apuração do caso Palocci ficará sob responsabilidade do Gedec (Grupo de Atuação Especial de Repressão à Formação de Cartéis e à Lavagem de Dinheiro e de Recuperação de Ativos), braço do Ministério Público.

O imóvel foi avaliado em R$ 4 milhões e pertence a Gesmo Siqueira dos Santos, que tem uma folha corrida com mais de 120 inquéritos policiais.

A Procuradoria também encaminhou cópia da petição ao chefe do Ministério Público Federal, Roberto Gurgel, para um segundo procedimento sobre eventual improbidade envolvendo Palocci. O aluguel do apartamento é de cerca de R$ 15 mil. Quando Palocci o alugou recebia R$ 16 mil como parlamentar.

A crise que levou à saída de Palocci do governo Dilma teve início no dia 15 de maio, após a Folha de São Paulo revelar que o ex-ministro multiplicou seu patrimônio por 20 entre 2006 e 2010, quando ele foi deputado federal e manteve, paralelamente, uma consultoria privada

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros