Domingo, 16 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

Brasil Segunda-feira, 03 de Dezembro de 2018, 17:38 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Segunda-feira, 03 de Dezembro de 2018, 17h:38 - A | A

MP investiga vazamento de dados de clientes da rede de hotéis Marriott

CONTEÚDO ESTADÃO
da Redação

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) instaurou nesta segunda-feira, 3, um Inquérito Civil Público para apurar se há brasileiros entre os afetados no vazamento de dados de 500 milhões de clientes do hotel Marriott.

O documento, assinado pelo promotor de Justiça, Frederico Meinberg, diz que os "dados expostos traçam um verdadeiro raio x sobre a movimentação de pessoas ao redor do mundo", o que pode ter trazido danos a diplomatas, militares e chefes de Estado.

O promotor também pede explicações sobre a demora em notificar de usuários, visto que a rede de hotéis já tinha conhecimento do ataque de hacker desde setembro de 2018 e que a invasão acontece desde 2014.

Além da empresa, o MDFT notificou o Departamento de Justiça dos Estados Unidos e a Missão Diplomática do Reino Unido no Brasil sobre a instauração do inquérito.

Rombo

A rede de hotéis Marriott confirmou na última sexta-feira, 30, que foi alvo de um ataque hacker que expôs dados de meio bilhão de hóspedes. A invasão ocorreu por meio do sistema de reservas online da Starwood, subsidiária que a rede comprou em 2016 e inclui as marcas St. Regis, Westin, Sheraton e W Hotels. O ataque é considerado um dos maiores roubos de dados pessoais da história.

O ataque é preocupante pela quantidade de clientes atingidos e pelo detalhamento das informações expostas. Para 327 milhões vítimas, por exemplo, entre os dados roubados estão números de passaporte, endereço residencial e e-mail. Um número ainda não divulgado de afetados também teve o número e a data de validade do cartão de crédito expostos.

Ainda não há informações sobre quais países foram afetados, mas a empresa disse que todos que fizeram reservas anteriores a 10 de setembro de 2018 podem ter sido vítimas. O Marriott confirmou que aqueles que tiveram dados roubados vão receber e-mails com notificação sobre o ocorrido. O grupo de hotéis também criou um site em inglês para tirar dúvidas dos usuários.

(Com Agência Estado)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros