Sábado, 18 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

Brasil Quinta-feira, 16 de Maio de 2024, 13:00 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quinta-feira, 16 de Maio de 2024, 13h:00 - A | A

Barroso quer R$ 8 milhões da iniciativa privada para financiar bolsas da Magistratura

CONTEÚDO ESTADÃO
da Redação

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta quinta-feira, 16, que espera arrecadar R$ 8 milhões da iniciativa privada para financiar bolsas de estudo para a Magistratura no valor de R$ 3 mil mensais, por até dois anos. Se a meta for atingida, cerca de 111 pessoas podem ser beneficiadas.

O programa de bolsas é voltado para pessoas negras, indígenas e com deficiência formadas em Direito e visa garantir a igualdade de condições entre os candidatos no Exame Nacional da Magistratura (Enam), um teste que servirá como requisito para que candidatos a juízes se inscrevam em concursos.

O CNJ publicou no dia 30 de abril um edital que busca empresas e instituições privadas que queiram em contribuir para o financiamento das bolsas.

De acordo com o ministro, quanto maior o valor arrecadado, maior será o número de bolsas concedidas. Barroso disse que R$ 8 milhões é o valor ideal para "começar o jogo".

"Como hoje em dia as empresas têm essa preocupação ESG, de meio ambiente, governança e compromissos sociais, nós temos a expectativa de conseguir", afirmou Barroso em conversa com jornalistas após um evento no CNJ.

O ministro disse que já está em conversa com diversas instituições privadas, entre elas a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban).

(Com Agência Estado)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros