Quarta-feira, 19 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,43
euro R$ 5,84
libra R$ 5,84

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,43
euro R$ 5,84
libra R$ 5,84

Brasil Terça-feira, 21 de Maio de 2024, 12:30 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Terça-feira, 21 de Maio de 2024, 12h:30 - A | A

Aneel aprova flexibilização das regras de comercialização de energia no RS por calamidade

CONTEÚDO ESTADÃO
da Redação

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira, 21, a flexibilização das regras e procedimentos de comercialização em decorrência da situação de calamidade pública no Rio Grande do Sul. A avaliação se deu por pedido da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCE).

A Aneel aprovou a suspensão de desligamento e ou abertura de processos contra empresas afetadas pela calamidade. Ainda, a flexibilização de processos em que se verifique insuficiência de lastros em processos em andamento, isso é, quando o total de energia consumido nos últimos 12 meses for maior que o total de contratos no mesmo período.

Ainda, os diretores aprovaram a prorrogação, por 90 dias, a validade dos Certificado de Adimplemento. E o afastamento, por 120 dias, da exigibilidade pela CCE das certidões de adimplência fiscal previstas no Proret. As medidas valem até nova avaliação da Aneel ou o fim do estado de calamidade no Rio Grande do Sul.

Na avaliação de isenção de juros e multas mediante avaliação de casos de inadimplência, requerida pela CCE, os diretores entenderam que ainda não há elementos que sustentem essa necessidade. Contudo, o colegiado encaminhou à CCE demanda para que seja enviado relatório semanal sobre o quadro de inadimplência para futura análise sobre medidas.

(Com Agência Estado)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros