Política Quarta-feira, 23 de Novembro de 2011, 10:44 - A | A

Quarta-feira, 23 de Novembro de 2011, 10h:44 - A | A

ELEIÇÃO 2012

Silval será obrigado a ter habilidade para conter embates eleitorais

Governador de Mato Grosso será obrigado a ter jogo de cintura para agrupar os mesmos partidos que compuseram o arco de alianças da eleição em 2010, mas tarefa não será fácil

NOELMA OLIVEIRA

Mayke Toscano/Hipernotícias

Governador Silval Barbosa teve ao seu lado em 2010 uma grande aliança para se reeleger e terá uma tarefa difícil para agrupar mesmas sioglas em 2012

A habilidade política do governador Silval Barbosa (PMDB) será colocada à prova na formação de composições à eleição em 2012, envolvendo o seu partido e siglas aliadas, como também na campanha eleitoral. Em dezenas de municípios a aliança que elegeu o peemedebista em 2010 não deverá ser repetida.

Silval declarou esta semana que trabalhará para manter a unidade dos partidos aliados, mas adianta que “vai ter embates em vários municípios”. Em discussões internas, Silval tem avaliado a conjuntura local, porém tem deixado as articulações diretas para o próximo ano.

Um levantamento do HiperNoticias mostra que nos maiores colégios eleitorais do Estado (Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Cáceres, Sinop, Sorriso e Barra dos Garças) dificilmente as siglas que apoiaram a reeleição de Silval estarão na mesma composição.

A aliança majoritária de 2010 era formada pelo PMDB, PR, PT e PP, que contava ainda com o apoio do PC do B, PRB, PTN, PSC, PTC, PHS e PRP. Excetuando este segundo bloco de siglas pequenas, as discussões iniciais à campanha de 2012, diante dos principais nomes já colocados ou com melhor viabilidade eleitoral, deixam estes partidos em rota de colisão.

O governador revelou esta semana que tem participado de reuniões do partido. Com isso, deve ter conhecimento do cenário político que o espera. “Vou ter habilidade e quem teve na minha campanha, não vou abandonar”, afirmou o chefe do Executivo, que tem evitado falar até em nomes à disputa da sua agremiação nos principais colégios eleitorais de Mato Grosso.

Aliada a toda composição da eleição passada, um novo componente promete embaralhar ainda mais este cenário político: o recém-criado PSD. Em Mato Grosso, a sigla ganhou lideranças de peso e tem hoje, além do vice-governador Chico Daltro, dois deputados federais, Eliene Lima e Homero Pereira, e a maior bancada na atual composição da Assembleia Legislativa, com José Riva, Walter Rabello, Airton Português, Aray Fonseca e Luizinho Magalhães, e mais 51 prefeitos e quase 350 vereadores.

Com esta estrutura, também denominada de musculatura, a sigla será o fiel da balança na próxima eleição. Dos maiores municípios, Várzea Grande é o primeiro município que o partido já trabalha a reeleição do prefeito Sebastião Gonçalves, o Tião da Zaeli.

Em outros polos, o processo é de entendimento. O fato é que a maioria absoluta dos pré-candidatos majoritários deseja o respaldo do PSD, como o empresário da Comunicação, João Dorileo Leal (PMDB), pré-candidato a prefeito de Cuiabá.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros