Segunda-Feira, 07 de Outubro de 2019, 16h:36

Tamanho do texto A - A+

Riva revela propinas de R$ 175 milhões a 38 deputados; veja lista

Por: FERNANDA ESCOUTO

Alan Cosme/HiperNoticias

jose riva

 José Riva cumpre pena em semiaberto

Na suposta proposta de colaboração premiada, encaminhada ao Ministério Público Estadual (MPMT), o ex-presidente da Assembleia Legislativa José Riva, revela que fez pagamentos irregulares, o chamado “mensalinho”, para 38 parlamentares, durante os 20 anos em que esteve na presidência da Casa de Leis.

O HNT/HiperNotícias teve acesso ao documento sigiloso, que seria uma suposta colaboração premiada de Riva. Assinada em 27 de março de 2019, os relatos foram feitos à procuradora-geral de Justiça, Ana Cristina Bardusco.

No documento, Riva afirma que fez pagamentos de propina sob o argumento de “manter-se na governabilidade”.  

Entre os anos de 1995 a 1998, o líder do Governo e deputados de base recebiam mensalmente R$ 15 mil mensais.

A partir de 1998 a 2002, Riva pagava aos colegas de Parlamento a quantia de R$ 20 a R$ 25 mil mensalmente. O ex-presidente da Assembleia gastou com “mensalinhos” aproximadamente R$ 175 milhões.

Na colaboração, o ex-deputado, que é considerado o maior ficha-suja do país, destaca que pode demonstrar os pagamentos, por meio de comprovantes bancários e notas promissórias, o efetivo pagamento da propina, bem como a participação dos parlamentares no esquema de desvio de recursos da Assembleia.

Riva ressalta que tem comprovantes com assinaturas de relatórios de recebimento de materiais falsificados, que foram usados como justificativa para o repasse dos mensalinhos.

"O próprio governador (Blairo Maggi) sugeriu que poderia manter o esquema de outra forma, e se dispôs a repassar o montante da propina para a ALMT, com um adicional (...) ainda que a título de suplementação"

Ainda no documento à procuradora, o ex-presidente da Assembleia conta que o esquema, que começou em 1995, ganhou mais ‘força’ em 2002, quando Blairo Maggi (PP), tomou posse como governador do Estado.

“O próprio governador sugeriu que poderia manter o esquema de outra forma, e se dispôs a repassar o montante da propina para a ALMT, com um adicional, isto é, acrescentaria um vultoso valor no orçamento do Parlamento, ainda que a título de suplementação”, diz trecho da possível colaboração.

Riva cita ainda que a prática do mensalinho se perpetrou e adentrou ao governo de Silval Barbosa. Ele revela que nesta gestão, o esquema nunca falhou, pois ainda que não houvesse recursos financeiros e orçamentário, a prática era a de recorrer a empréstimos, por meio de empresas de factorings ou até mesmo de agiotas, os quais, posteriormente, eram pagos com a mesma fonte de recursos utilizados para atender aos deputados, ou seja, com a utilização de empresas fornecedoras de materiais ou de prestação de serviço.

Pagamentos diferenciados

Riva ressalta que o pagamento de propina era diferenciado, isto é, alguns deputados recebiam valores desiguais, como era o caso do presidente e do primeiro-secretário, que recebiam três vezes mais que os demais parlamentares, além de terem repasses para pagamento do custo da eleição, que chegava a ser quatro vezes superior.

Veja a lista dos deputados e ex-deputados que receberam propina:

1- GUILHERME ANTÔNIO MALUF

2- JOSÉ DOMINGOS FRAGA FILHO

3- WALLACE GUIMARÃES

4- PERCIVAL MUNIZ

5- ADALTO DE FREITAS

6- ADEMIR BRUNETTO

7- JOÃO ANTÔNIO CUIABANO MALHEIROS

8- MAURO LUIZ SAVI

9- NILSON SANTOS

10- SERGIO RICARDO DE ALMEIDA

11- GILMAR DONIZETE FABRIS

12- LUCIANE BEZERRA

13- ROMOALDO JUNIOR

14- MAKSUÊS LEITE

15- WALTER MACHADO RABELLO JUNIOR

16- JOSE GERALDO RIVA

17- LUIZ MARINHO DE SOUZA BOTELHO

18- ALEXANDRE LUIZ CESAR

19- ZECA VIANA

20- DILMAR DAL’BOSCO

21- EZEQUIEL ÂNGELO FONSECA

22- BAIANO FILHO

23- TETE BEZERRA

24- ONDANIR BORTOLINI (NININHO)

25- EMANUEL PINHEIRO

26- LUIZINHO MAGALHÃES

27- NELDO WEIRICH

28- CARLOS AVALONE

29- CARLOS ANTÔNIO AZAMBUJA

30- FRANCISCO BELO GALINDO

31- AIRTON RONDINA

32- WAGNER RAMOS

33- SEBASTIÃO REZENDE

34- HERMÍNIO J. BARRETO

35- HUMBERTO BOSAIPO

36- PEDRO INÁCIO WIEGERT (PEDRO SATÉLITE)

37- DILCEU DAL'BOSCO

38- SILVAL BARBOSA

Avalie esta matéria: Gostei +8 | Não gostei



2 Comentários

Alberto - 08/10/2019

AÍ VEM ESSES DEPUTADOS SUGADORES DO ERÁRIO PÚBLICO COM O GOVERNADOR MAURO MENDES REVOGAR A LEI 4.171 DE 1979 DA FISCALIZAÇÃO DE DEFESA DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS DO INDEA, ISSO TUDO É CONCHAVO POLÍTICO PARA AFROUXAR A FISCALIZAÇÃO E A IDENTIFICAÇÃO DE MADEIRAS DESENVOLVIDA PELO INDEA A MAIS DE 40 anos. ISSO SE CHAMA RETROCESSO AMBIENTAL. CHEGA DE MARACUTAIAS A SOCIEDADE HONESTA NÃO AQUENTA MAIS. AVANTE MPE, MPF, PF, e JUVAM,etc.

Thomas Morus - 08/10/2019

E agora? O maior dos criminosos/lesa pátria - José Riva- com mais de 120 processos, réu confesso, na busca por se livrar da cadeia, confessa o que todos já sabiam. Certeza de que nada, absolutamente NADA vai acontecer, o MP e o Judiciário vão arrastar esses processos por mais vinte anos. A única juíza – SELMA- que teve coragem de condenar os marginais, agora é discriminada por alguns colegas, até a sentença do Bosaipo que estava aguardando na prateleira por oito anos foi anulada porque a juíza julgou “rápido” demais... “estava perseguindo” “queria se autopromover”. Nesse caso então, certeza que alguns dos delatados vão morrer e o processo não terminou. Isso é a República Brasileira, o paraíso dos marginais.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA







Mais Comentadas