Terça-Feira, 14 de Fevereiro de 2017, 11h:59

Tamanho do texto A - A+

Motociclista de capacete ameaçou matar filho de delator caso ele contasse sobre propina

Por: GLAUCIA COLOGNESI

O administrador da empresa Marmeleiro Auto Posto Ltda e proprietário da empresa Saga Comércio e Serviço de Tecnologia e Informática Ltda, Juliano Volpato, afirmou durante delação premiada ao Ministério Público Estadual que recebeu ameaças de morte na frente de uma conveniência. Na época do recado, Volpato pagava propina de R$ 70 mil mensais aos secretários estaduais de Administração para abastecer frota do Executivo e receber em dia pelo produto fornecido. 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

defaz

Caso de ameaça foi revelado durante delação premiada feita ao Ministério Público

Segundo o delator, já no término do mandato de Silval Barbosa no final de 2014, quando ainda pagava as propinas exigidas pelo governo, estava em frente à conveniência de um de seus postos de combustível, na Avenida Prainha, quando foi abordado por um motociclista, que usando capacete, perguntou seu nome e disse: "rapaz dá um jeito de ficar bem quietinho por aí, pois o primeiro que vai é seu filho", revelou. 

 

O Ministério Público confirma o medo do empresário. Em representação, o MP transcreve trecho do depoimento de Juliano Volpato, "no qual diz ter grande temor pela sua integridade física e de sua família, já que sofreu ameaças da organização criminosa”, diz trecho de processo.

 

Não há pistas de quem tenha sido o mandante das ameaças feitas pelo motoqueiro a juliano Volpato. Contudo, de acordo com os autos da decisão judicial de Selma de Arruda que resultou na 5ª fase da Operação Sodoma, a prisão cautelar dos membros da organização foi decretada pelo fato de realizarem ameaças às testemunhas, vítimas, colaboradores e quaisquer pessoas que ousem tentar intimidá-los.

 

Foram presos nesta manhã Valdisio Juliano Viriato, Francisco Anis Faiad e Jose Jesus Nunes Cordeiro. Sendo que o ex-governador Silval da Cunha Barbosa e o chefe de gabinete dele Sílvio Cesar Corrêa Araújo, já estavam presos.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

silval barbosa

Juíza acredita que grupo comandado por Silval tenha cometido tal ameaça ao delator

Consta ainda, em outras fases da Operação Sodoma, que o coronel da PM José de Jesus Nunes Cordeiro, ex-secretário-adjunto da Secretário da Administração tinha a prática de fazer este tipo de ameaça às pessoas que sabiam demais sobre o esquema ou se negavam pagar propina em dia na época que Silval era governador. 

 

Sobre as ameaças, a juíza Selma se manifestou nos autos da seguinte forma: “Não há indícios que Juliano Volpato tenha motivos para prestar declarações falsas sobre esse tipo de ato, até porque não há indícios que tenha faltado com a verdade. Pelo contrário, suas declarações se convergem com as declarações de outras pessoas ouvidas sobre estes mesmos fatos, assim como já citei exaustivamente, quando do relatório expositivo que antecede a decisão l II sobre o pedido ora formulado pelo Ministério Público. Além disso, percebe-se que a ameaça tem uma razão de ser lógica, ou seja, se insere no contexto dos fatos até aqui narrados como uma arma, ou seja, uma forma de intimidação para que os membros da organização criminosa não sejam delatados e consequentemente fiquem impunes dos crimes praticados”,frisou a magistrada em sua decisão.

 

A Operação 

 

Jessica Bachega/HiperNoticias

FAIAD PRESO

Francisco Faiad é um dos presos desta quinta fase da Operação Sodoma

A Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso deflagrou na manhã desta terça-feira (14.02)  5ª fase da Operação Sodoma, que investiga fraudes à licitação, desvio de dinheiro público e pagamento de propinas, realizados pelos representantes da empresa Marmeleiro Auto Posto LTDA e Saga Comércio Serviço Tecnológico e Informática  LTDA, em benefício da organização criminosa comandada pelo ex-governador, Silval da Cunha Barbosa.

 

A investigação, presidida pela Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública, cumpre cinco mandados de prisão preventiva, nove de condução coercitiva e nove de busca e apreensão domiciliar, nos estados de Mato Grosso, Santa Catariana e Distrito Federal. 

 

Os mandados de prisão foram cumpridos contra os investigados: Valdisio Juliano Viriato, Francisco Anis Faiad, Silval da Cunha Barbosa, Sílvio Cesar Corrêa Araújo, Jose Jesus Nunes Cordeiro. Entre os conduzidos coercitiva para interrogatórios estão: Wilson Luiz Soares, Mario Balbino Lemes Junior, Rafael Yamada Torres, Marcel Souza de Cursi. 

 

Os suspeitos são investigados em fraudes à licitação, corrupção, peculato e organização criminosa em contratos celebrados entre as empresas Marmeleiro Auto Posto LTDA e Saga Comércio Serviço Tecnológico e Informática  LTDA, nos anos de 2011 a 2014, com o Governo do Estado de Mato Grosso.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1

Leia mais sobre este assunto