Sexta-Feira, 13 de Dezembro de 2019, 16h:05

Tamanho do texto A - A+

Mendes pede desculpa por promessa e diz que espera solução para o VLT até 2020

Por: WELLYNGTON SOUZA, ESPECIAL HIPERNOTÍCIAS

O governador Mauro Mendes (DEM) espera que até o final do primeiro semestre de 2020 consiga apresentar uma solução para a principal obra da Copa do Mundo de 2014, na região metropolitana de Cuiabá, o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). O chefe do Executivo se desculpou pela demora em chegar a uma conclusão e afirmou nesta sexta-feira (13) que aguarda o estudo realizado pelo Grupo de Trabalho para decidir a viabilidade do modal.

Secom-MT

Vagão do VLT

 

“Sobre o VLT eu realmente disse em campanha que até um ano daria uma solução. Peço desculpas, não foi possível. Nós criamos uma comissão porque teve que colocar o Governo Federal, pois envolve verba federal, tem financiamento feito pela Caixa Econômica. Além disso, houveram alguns problemas no meio do caminho e nós descobrimos outras também que foram analisadas no passado que não estavam corretas”, disse Mendes em entrevista à Rádio Capital.

O governador declarou ainda que o Estado teve que contratar um novo estudo de tráfego de passageiros para que pudesse analisar sobre a conclusão do modal. “Tivemos que contratar um novo estudo para tomar uma decisão assertiva. Lamento a demora. Apertei muito a minha equipe. Isso não é uma decisão que o governador Mauro Mendes toma, que ele acorda inspirado para tentar resolver essa questão”, ressalta.

O democrata relembrou que esteve em Brasília reunido com o Tribunal de Contas da União (TCU) e o Ministério Público (MP), visto que as obras do modal está judicializada. “Existem três ações na justiça, sendo duas dela com o MPE, MPF e é uma solução complexa. Nós estamos trabalhando, estamos estudando”.

Mendes declarou que não irá cometer o mesmo erro da gestão passada [do ex-governador Pedro Taques] – que prometeu por diversas vezes a retomada do VLT. “Eu lembro que nos últimos anos foi anunciado cinco vezes a retomada da obra. Não vamos ficar com ‘mentiraiada’, estamos estudando o problema e quero que seja o mais rápido possível”.

“Quero fazer isso no primeiro semestre do ano que vem. Eu já fui no pescoço dos meus técnicos e eu também fiquei irritado, mas não posso exigir deles para que tomem uma decisão sem consistência. Continuaremos estudando e se Deus quiser no primeiro semestre teremos uma decisão sobre o VLT”, concluiu.

Comissão do VLT

O Governo do Estado anunciou em julho deste ano a comissão criada junto a Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana, para estudar uma solução para o VLT.

Além de técnicos do governo federal, Mauro Mendes designou para compor a comissão os secretários estaduais Marcelo Oliveira (Infraestrutura e Logística), Rogério Gallo (Fazenda), Emerson Hideki Hayashida (Controladoria Geral), Carlos Fávaro (Escritório de Representações) e o procurador Lucas Schiwinden Dallamico (representando a Procuradoria Geral do Estado).

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei



3 Comentários

benedito costa - 15/12/2019

Mauro Mendes! não seja mais um desses que promete e não cumpre. Você prometeu na campanha que ia concluir o modal, já pediu desculpas por isso. Agora diz para o segundo semestre. Deixa quieto isso e diz que o melhor no momento é mudar para o BRT, vai sair como herói e todos os desculpará..

Ernani Camargo - 14/12/2019

Facil decisão: se o custo de manutenção (só das composições) é de R$16.000.000,00, em cinco anos já foram R$960.000.000,00 (novecentos e sessenta milhões de reais). Decida pela conclusão que é melhor do que aumentar este custo... Vá sim, no pescoço dos seus assessores "especialistas"! Licite o término da obra. Peça o auxílio das bancadas estadual e federal. Faça alguma coisa, além de adiar.

joaoderondonopolis - 14/12/2019

Governador vai por mim, faça um acordo entre Brasília e o prefeito de Cuiabá e entrega o VLT para EP. Aí sim, com certeza teremos o VLT entregue a população. O governador está patinando quando se refere também ao VLT e com o prefeito não em nada disso.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA