Terça-Feira, 31 de Março de 2020, 09h:16

Tamanho do texto A - A+

Fazendo campanha "Fica em casa Sapezal", prefeito diz que não vai recorrer de decisão que suspendeu decreto

Por: JOELMA PONTES

Reprodução

prefeito de Sapezal Valcir Casagrande

Depois de ter sido 'barrado' pela Justiça por flexibilizar o isolamento social devido à pandemia da Covid- 19, o coronavírus, o prefeito de Sapezal Valcir Casagrande (PSL), disse que não vai recorrer. A decisão atende o pedido do Ministério Público Estadual (MPMT), por meio da Promotoria do Município, e susta os efeitos do Decreto Municipal 37/2020.

Com a decisão do juiz de Direito Daniel de Souza Campos, da última sexta-feira (27), ficaram suspensos os incisos que autorizavam o funcionamento de casas noturnas, congêneres e demais estabelecimentos dedicados à realização de festas e a permanência de pessoas em bares, além da reabertura de academia e similares. 

“Não vou recorrer porque agora o meu decreto ficou igual ao do governo do Estado, então fica mais fácil deixar todos os decretos iguais”, disse o prefeito, que anterioremente foi contra o isolamento social, mas agora utiliza em seu perfil no aplicativo de mensagens WhatsApp, uma foto com a frase: “Campanha Fica em Casa Sapezal”.

Na semana passada, o gestor municipal enviou um áudio para um grupo de empresários de Sapezal, combinando a publicação do decreto que permitia o funcionamento de estabelecimentos comerciais, salientando, porém, que caso algo saísse do controle, ou seja, caso o município registrasse ocorrências por Covid-19, ele precisaria da ajuda dos comerciantes para que não respondesse o reflexos da medida sozinho.

No áudio, confirmado por ele através de uma nota, ele declarou apoio ao discurso do presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido), que comparou o coronavírus a uma “gripezinha” disseminada pela “histeria” da imprensa. Aos empresários do grupo, o prefeito de Sapezal admitiu que optava por morrer doente do que fechar o comércio.

“Prefiro morrer de doença e com a barriga cheia”, comentou o gestor ao falar sobre o posicionamento da prefeitura diante de medidas restritivas de combate ao Covid-19, o coronavírus.

Críticas

A atitude do Chefe do Executivo Municipal foi criticada pelo presidente da Associação Mato-grossense do Ministério Público, Rodrigo Fonseca da Costa, que emitiu nota comentando a postura adotada pelo prefeito. No documento, Fonseca destaca que o isolamento social, defendido tanto pela Organização Mundial da Saúde quanto pelo Ministério da Saúde, é a medida mais efetiva no combate ao vírus, que já fez 678 mil vítimas pelo mundo tendo matado 31.776 pessoas ao redor do globo.

“Por essas razões, a Associação Mato-Grossense do Ministério Público exorta o Prefeito de Sapezal à retomada do diálogo respeitoso e da conjugação de esforços para conter o avanço dessa grave pandemia, a fim de que, nestes momentos primeiros, os mais angustiantes, adotemos medidas e regramentos aos quais todos os homens de bem deste País devem apor o seu consentimento”, acrescenta o presidente da AMMP.

Casos em MT

O balanço diário emitido pelo Ministério da Saúde atualizou o número de casos de contágio pela Covid-19 nesta segunda-feira (30). Conforme o levantamento, o registro de ocorrências em Mato Grosso subiu de 16 para 18 ocorrências.

Nacionalmente, o Ministério da Saúde registrou 4.579 casos de contágio pela Covid-19. Além disso, em todo Brasil, 159 ocorrências de óbito foram contabilizadas em virtude da doença.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei