Política Quinta-feira, 08 de Setembro de 2011, 18:14 - A | A

Quinta-feira, 08 de Setembro de 2011, 18h:14 - A | A

FORÇA OCULTA

Eder estaria tentando emplacar sucessor de Diógenes Curado

Hipernoticias apurou que presidente da Agecopa (no foto à esquerda com Mauro Zaque e Paulo Lessa) teria convidado promotor Mauro Zaque para o cargo. Ambos negam, mas admitem que assunto é extraoficial. Governo nega saída de Curado

Mayke Toscano/Hipernotícias

Secretário de Segurança, Diógenes Curado, nega especulações a respeito de sua saída da Pasta e tem respaldo de deputados

A crise do setor de segurança pública de Mato Grosso, marcada pela greve de mais de 60 dias dos escrivães e investigadores da Polícia Civil, insatisfações na Polícia Militar em função de promoções de patente por critérios políticos, bem como o aumento de crimes com forte repercussão na opinião pública, vem gerando especulações nos bastidores políticos sobre a troca do secretário de Segurança, Diógenes Curado, inclusive com o surgimento de nomes que poderiam sucedê-lo. Um deles seria o do promotor de Justiça Mauro Zaque, que teria sido convidado pelo presidente da Agecopa, Eder Moraes, para ocupar a função.

Mauro Zaque negou a Hipernoticias que tenha sido convidado, embora admita que esteve com Eder Moraes durante duas ocasiões recentemente, mas para tratar de outros assuntos. Em um dos encontros, Zaque estava acompanhado do secretário de Justiça, desembargador aposentado Paulo Lessa, quando trataram oficialmente de questões relativas ao sistema prisional.

“Não tem nada disso. Tivemos uma reunião para discutir questões sobre reforma de presídios e estrutura física do sistema prisional”, afirmou o promotor, diante da primeira pergunta.

Mas, com a insistência da reportagem, que checou com pessoas próximas a ele que revelaram terem sido consultadas pelo promotor sobre o convite, Zaque deixou margem para a interpretação que, de fato, fora convidado, mas de forma não oficial.

“Comigo não existe nada oficial sobre isso. Como se diz em Cáceres, ouvi ‘tarem dizendo’ (sic). Mas isso tem que ser melhor analisado”, afirmou ele, acrescentando que “houve um burburinho, saiu na rua, na imprensa, mas não é nada oficial”.

Perguntado sobre sua opinião a respeito do fato de membros do Ministério Público ocuparem cargos no Executivo, polêmica que levou à saída do ex-secretário de Segurança, Célio Wilson, do cargo, em 2008, ele esclareceu que isso já foi pacificado pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), e que a medida hoje é legal.
“O Ministério Público não pode se fechar numa ostra. A participação de promotores facilita muitos encaminhamentos. Por outro lado, isso gera muita controvérsia”, argumentou.

NA MINHA FRENTE NÃO”

O desembargador aposentado Paulo Lessa, que participou de uma das reuniões entre Zaque e Moraes, confirmou o encontro, mas garantiu que na reunião tratou-se apenas de questões relacionadas ao sistema prisional, inclusive sobre formas de contratação de serviços, na eventualidade de alguma emergência.

“Estive na Agecopa com o Eder e o Mauro. Na minha frente não houve convite algum. Só se foi de forma reservada”, garante Lessa, admitindo, contudo, que “já vi isso na imprensa tempos atrás”.

Procurado pela reportagem, Eder Moraes, que estava em São Paulo nesta quinta-feira, com previsão de chegada a Cuiabá amanhã, não quis se manifestar. Hipernoticias enviou a ele as seguintes perguntas (em seu e-mail funcional da Agecopa e também no da assessoria da imprensa do órgão):

- O senhor confirma que esteve com o promotor Mauro Zaque em duas ocasiões nos últimos dias?

- Esses encontros contaram com a presença/participação do secretário de Justiça, desembargador Paulo Lessa?

- Que assunto ou assuntos foram tratados com o promotor e o desembargador nesses encontros?

- O senhor fez ao Mauro Zaque um convite para ele assumir a Secretaria de Segurança Pública no lugar do atual secretário, delegado Diógenes Curado?

- Em caso afirmativo, o senhor recebeu essa incumbência do governador Silval – ou seja, o convite foi feito em nome do governador – ou foi extraoficial?

- Em sua opinião, o atual secretário Diógenes Curado está correspondendo à política do Governo do Estado para a área de Segurança Pública?

Sua assessoria retornou, por telefone, com a seguinte posição: “O presidente disse que, como esse assunto é uma especulação, é extraoficial e não se refere à atuação da Agecopa, ele não vai se manifestar” (sic).

MAIS NOMES

Os nomes de prováveis substitutos a Diógenes Curado não param por aí. Também foram cogitados o promotor Domingos Sávio de Barros Arruda e o advogado criminalista Ricardo Monteiro. Domingos Sávio admite que foi sondado por um empresário com ligações ao Palácio Paiaguás e Assembleia Legislativa, mas garante que descartou de pronto. “Não tenho interesse. Estou muito bem onde estou”. Já Monteiro garante que não recebeu nenhum convite ou sondagem. “Ninguém me procurou sobre esse assunto”, garantiu.

Mayke Toscano/Hipernotícias

Deputado Romoaldo Júnior diz que Diógenes Curado tem respaldo do governo

CURADO RESPALDADO

O líder do governo na Assembleia Legislativa, Romoaldo Junior (PMDB), disse ao Hipernoticias no último dia 5 disse que não há intenção de o governo em substituir Diógenes Curado. “O problema na segurança chama-se falta de investimento e não tem a ver com o secretário que, aliás, é um homem muito bem preparado”, frisou Junior.

Já o secretário chefe da Casa Civil, José Lacerda, afirmou nesta quinta (8) que “o governador não está substituindo o secretário Diógenes, e desconhece essas sondagens”, observando que Silval Barbosa “não autorizou ninguém a fazer nenhum convite sobre secretarias, isso pelo menos não passou por mim”.

Segundo José Lacerda, “o governador está satisfeito com o Diógenes, porque considera que ele está fazendo um bom trabalho”.

O próprio Curado disse na terça-feira (7) a Hipernoticias, durante o desfile cívico-militar alusivo ao Dia da Independência, que não se sente pressionado para deixar o cargo, e que vê o governador Silval agindo com tranquilidade sobre o assunto.

“O governador está tranquilo quanto a isso, porque ele sabe que é um problema de conjuntura, ou seja, que temos que ver onde estão os problemas para resolvermos, como foi o caso da greve dos investigadores da Polícia, que já foi resolvida”.

CONTEXTO

A estranheza do convite ou sondagem de Eder de Moraes a Mauro Zaque reside em dois fatores. O primeiro é que esta função não seria do presidente da Agecopa, e sim da Casa Civil ou gabinete do governador. Segundo, que Mauro Zaque é um dos promotores responsáveis pelas investigações da aquisição dos maquinários do programa “Mato Grosso 100% Equipado” pelo Governo, ano passado, que ficou conhecido como “escândalo dos maquinários”.

A existência do convite representaria uma tentativa de cooptação do Ministério Público pelo presidente da Agecopa, um dos agentes públicos investigados no caso, por ser secretário de Fazenda à época das aquisições. (Com informações de Paulo Coelho)

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Raquel 22/02/2012

Uma correção na matéria Kleber Lima. O ex-secretário de Segurança, Célio Wilson, deixou a pasta em dezembro de 2006, no término do primeiro mandato de Blairo Maggi. Quem assumiu no primeiro ano do segundo mandato de Maggi foi Carlos Brito, empossado em janeiro de 2007, permanecendo na antiga Sejusp até 10 de março de 2008.

joão lessa 10/09/2011

Fico impressionado com a fala do lí­der do Governo dizendo estar tudo bem....Mato Grosso está diante de um holocausto, e está tudo bem? O Secretá¡rio Diógenes já¡ contribuiu com suas peripécias...Sempre amenizando a tragédias que vem acontecendo , o Lí­der do Governo acha que "Somos idiotas" em acreditar nestas que bobagens que ele diz, a Seguranças precisa de uma Cara Nova....Novas ideias....Fora Diógenes Curado....Já1

2 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros