Política Sexta-feira, 15 de Julho de 2011, 17:25 - A | A

Sexta-feira, 15 de Julho de 2011, 17h:25 - A | A

EFEITO DOMINÓ

Comunidades dizem ter sido traídas por Júlio Pinheiro e ameaçam entrar com ação

Entidades que formam a Ucamb também alegam que foram apunhaladas porque prefeito em exercício não deu importância aos apelos

DA REDAÇÃO

Mayke Toscano/Hipernotícias
Prefeito em exercício sancionou projeto que torna fornecimento de águas uma concessão pública

Comunidades que fazem parte da União Cuiabana de Associações de Moradores de Bairros (Ucamb)afirmam que foram traídas pelo prefeito em exercício Júlio Pinheiro (PTB) e vereadores que votaram a favor da privatização dos serviços água e esgotamento sanitário.

 

A assessoria jurídica da Ucamb analisa medidas jurídicas a serem tomadas. É possível que, na próxima semana, a entidade ingresso com representação no Núcleo de Defesa do Patrimônio Público, na Procuradoria Geral de Justiça, para tentar brecar o novo formato da concessão do serviço de abastecimento de água da Capital.

“Fomos apunhalados pelas costas, porque o senhor prefeito em exercício disse que ouviu o movimento comunitário antes de mandar a lei para a Câmara Municipal. Isso é uma grande mentira!”, reagiu o presidente da Ucamb, Edio Martins de Souza.

Edio Martins argumenta que, em dois encontros do movimento comunitário de Cuiabá com o prefeito em exercício Júlio Pinheiro, entre a noite de sexta-feira (8) e a manhã terça-feira (12), em nenhum momento se tratou de privatização de água e esgoto ou extinção da Companhia de Saneamento da Capital (Sanecap).

“Lógico que as reclamações pelos precários serviços prestados pela Sanecap permearam as duas reuniões, mas, em nenhum momento, se falou em privatização ou concessão”, apontou ele.

“Creio que o senhor Júlio Pinheiro faltou com o respeito com o movimento comunitário e, por extensão, com a população cuiabana. Agiu de má fé. Nos enganou!”, criticou Edio Martins, ao lembrar que, durante, desde a reunião de sexta-feira à noite, no auditório da Secretaria Municipal de Educação, o desrespeito era latente.

Tanto que, durante a fala do presidente da Associação dos Moradores do bairro Santa Isabel, Geraldo Julião da Silva, o ‘Gera’, um dos maiores bairros de Cuiabá, Júlio Pinheiro se levantou  e foi para a copa, tomar café e fumar, sem dar atenção a quem falava.

“Praticamente todos os líderes comunitários reclamaram do sistema de abastecimento de água. O prefeito interino deveria ter aproveitado para dizer que estava preparando um projeto de privatização do sistema, mas preferiu agir na surdina, de forma dissimulada”, reclama Edio Martins. (Com informações da assessoria)

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros