Política Quarta-feira, 21 de Setembro de 2011, 12:08 - A | A

Quarta-feira, 21 de Setembro de 2011, 12h:08 - A | A

CUIABÁ

Audiências públicas sobre privatização da Sanecap começam no dia 26

Prefeitura de Cuiabá quer mostrar à população necessidade de a iniciativa privada administrar serviços de água e esgoto; oito empresas nacionais do setor já manifestaram interesse

NOELMA OLIVEIRA

 

Mayke Toscano/Hipernotícias

Procurador-geral do Município, Fernando Biral, é quem foi escalado para explicar necessidade de concessão

O edital que abre a concessão da Companhia de Saneamento de Cuiabá (Sanecap) à iniciativa privada será discutida em quatro audiências públicas, entre os dias 26 e 29, nas regionais Norte, Sul, Leste e Oeste, que funcionam como subprefeituras.

Paralelo ao processo de convencimento da população sobre a necessidade de terceirizar os serviços de água e esgoto, oito empresas que atuam neste setor no âmbito nacional já manifestaram interesse em entrar no processo de licitação, que será iniciado após a série de audiências públicas.

A Sabesp e a Copasa, duas empresas públicas que prestam os serviços de água e saneamento nos estados de São Paulo e Minas Gerais, respectivamente, também mostraram interesse em administrar a Sanecap. Porém, as propostas destas duas empresas foram descartadas pela prefeitura.

A Sabesp e a Copasa tinham interesse inicialmente, conforme informações da prefeitura, para gerir por meio de cooperação técnica. Neste caso, o Executivo municipal não tinha nem a necessidade de abrir processo licitatório. Porém, a prefeitura só receberia qualquer recurso pelo repasse dos serviços quando a Sanecap passasse a ser lucrativa.

O procurador-geral do município, Fernando Biral, será o responsável para explicar a minuta contida no edital à população, durante as audiências públicas, como também tirar dúvidas e explicar todas as etapas do processo de concessão.

A prioridade da prefeitura nessas audiências será descaracterizar o termo privatização. O Executivo quer mostrar que os serviços de águas que são prestados precariamente atualmente – por conta de uma série de problemas acumulados nos últimos 40 anos – passará por um processo de terceirização, por 30 anos, para uma empresa com condições de arcar a dívida da Sanecap.

A dívida da Sanecap está estimada hoje em R$ 200 milhões e, necessita, além do pagamento deste montante, de mais R$ 100 milhões em investimentos para universalizar os serviços de água e esgotamento sanitário.

Exceto este volume, a prefeitura pretende destinar pelo menos R$ 150 milhões, com a venda da Sanecap, para a pavimentação asfáltica de ruas de dezenas de bairros periféricos da Capital.

Nestas audiências, a prefeitura, segundo o secretário de Comunicação Mauro Cid, quer também ouvir sugestões e propostas da população, que se forem pertinentes, poderão ser incorporadas ao edital.

Segundo o secretário de Comunicação, a Sabesp e a Copasa poderão entrar no processo de licitação de forma igualitária com as demais empresas.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros