Quinta-Feira, 26 de Março de 2020, 14h:05

Tamanho do texto A - A+

Após fala de Bolsonaro, Mendes cita crise econômica e amortece medidas restritivas

Por: KHAYO RIBEIRO

O governador Mauro Mendes (DEM) decretou estado de calamidade pública em Mato Grosso e atualizou, nesta quinta-feira (26), as medidas restritivas que vinham sendo praticadas com base em decretos anteriores. As novas determinações do gestor - que objetivam um alinhamento do Executivo estadual junto às prefeituras - se aproximam das diretrizes sugeridas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nesta semana, que citou um suposto cenário de crise econômica oriundo do isolamento e criticou as ações adotadas pelos governadores no combate ao Covid-19, o coronavírus.

Mayke Toscano Secom-MT

Bolsonaro e Mendes

 

Formado em engenharia e dono de empresa, o governador tem adotado medidas de restrições, mas sempre esclarecendo que o setor econômico precisa continuar funcionando, sobretudo na gestão que está “consertando o Estado”, como ressalta o lema do Governo. Contudo, com a publicação do novo decreto, ficou evidenciada a atenção do Executivo com a economia estadual, uma vez que, segundo Mendes, “precisamos salvar vidas sem arruinar vidas”.

O amortecimento do Governo em relação às medidas adotadas anteriormente incide principalmente sobre o comércio. Na última semana, por exemplo, restrições foram postas para o funcionamento de estabelecimentos comerciais. Após a medida, todos os shopping centers da Capital fecharam, evitando a possibilidade de espalhamento do vírus. Contudo, a partir do decreto de calamidade pública, este tipo de estabelecimento pode voltar a funcionar, assim como bares e restaurantes.

As medidas decretadas sugerem ainda uma aproximação com o discurso do presidente no que diz respeito ao tratamento diferenciado para as faixas etárias. Em rede nacional, na terça-feira, Bolsonaro disse que “o que se passa no mundo tem mostrado que o grupo de risco é o das pessoas acima dos 60 anos” - o que é corroborado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) – e, posteriormente, disse que pediria isolamento apenas dos idosos.

Com a publicação do decreto, o Governo de Mato Grosso determinou o isolamento domiciliar para as pessoas com mais de 60 anos e que se enquadrem dentro do grupo de risco, como hipertensos, portadores de doenças crônicas, renais, cardíacas entre outros. Contudo, recomendou que as demais pessoas saiam de casa para atividades ao ar livre.

Para Mendes, a situação de crise não pode dar lugar a um problema ainda maior, de ordem econômica. “Nós estamos defendendo o isolamento social, não estamos defendendo o isolamento econômico”, disse.

Leia mais:

Mendes flexibiliza medidas de restrição e permite abertura de shopping centers

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1