Política Quinta-feira, 28 de Abril de 2011, 16:38 - A | A

Quinta-feira, 28 de Abril de 2011, 16h:38 - A | A

BAFÃO NA CÂMARA

Ameaçado por Deucimar Silva, vereador do PSDB pede segurança

Tucano Antonio Fernandes quer providências da Mesa Diretora

LUIZ ACOSTA

Luiz Alves/Câmara
Vereador Deucimar Silva  se irritou com as colocação de Antônio Fernandes
Sentindo-se ameaçado após um bate-boca em plenário com o vereador Deucimar Silva (PP) na sessão matutina desta quinta-feira (28), o vereador Antonio Fernandes (PSDB) disse  que vai notificar a Mesa Diretora da Câmara Municipal, pedindo segurança à sua integridade física no Parlamento.

Sentindo-se ameaçado após um bate-boca em plenário com o vereador Deucimar Silva (PP) na sessão matutina desta quinta-feira (28), o vereador Antonio Fernandes (PSDB) disse  que vai notificar a Mesa Diretora da Câmara Municipal, pedindo segurança à sua integridade física no Parlamento.

A discussão teve início quando Fernandes abordava, mais uma vez, a questão da Sanecap, dizendo que a empresa perde cerca de R$ 8 milhões por mês porque a maioria dos prédios residenciais da cidade não utiliza a água distribuída pela Companhia Municipal de Saneamento e sim de poços artesianos, sem qualquer tratamento, citando como exemplo a própria Câmara de Cuiabá que hoje ocupa o prédio onde antes funcionava a Assembléia Legislativa e que também utilizava o mesmo expediente e que deveria haver uma fiscalização para que a lei federal 11.047, que disciplina a utilização do lençol freático, sobre isso.

Deucimar Silva reagiu e disse que Antonio Fernandes estava tentando responsabilizar a sua administração como presidente da Casa pela utilização do poço artesiano e passou a ofendê-lo, chamando-o de “covarde” e dizendo “peitava” Antonio Fernandes em qualquer lugar.

“Pra você eu tenho bala na agulha. O futuro a Deus pertence e você ainda vai ver o que pode acontecer”, disse Deucimar Silva.

 A reportagem sobre a utilização de poço por parte da Câmara de Cuiabá foi publicada com exclusividade pelo Hipernoticias. Leia aqui

Em seguida, quando todos os vereadores presentes foram chamados à frente da mesa da presidência da Casa e foi feita uma advertência pelo presidente Júlio Pinheiro, Deucimar Silva tentou contemporizar e disse que foi mal interpretado, que tentou dizer que estava oferecendo uma “balinha de leite” para Antonio Fernandes.

“É uma tremenda falta de respeito. Ele (Deucimar) não pode se dirigir a mim dessa forma. O Regimento Interno diz que o tratamento entre os vereadores em plenário deve ser “o senhor”, ou “excelência”, não fazer o que ele fez. Todo mundo viu, se ele estivesse armado com certeza me daria um tiro naquela hora. Confesso que temi pela minha segurança e meu primeiro pensamento foi de sair do plenário e me juntar aos jornalistas para tentar evitar o pior. Por isso, vou oficiar a Mesa Diretora e pedir segurança para mim”, disse o vereador tucano, ainda assustado com a reação do colega.

Antonio Fernandes relacionou o destempero emocional do ex-presidente a uma resolução do Tribunal de Contas do Estado que, de acordo com ele, estava sobre a mesa de Júlio Pinheiro (PTB) que pedia o ressarcimento de R$ 2,4 milhões dos recursos gastos nas obras de reforma e compra de móveis para a Câmara Municipal, na gestão de Deucimar Silva. “Ele não aceita cobranças. Fez coisa errada e agora sabe que não tem como se livrar. Deucimar já deveria ter sido cassado. Ele acha que o Riva (presidente da Assembleia, José Riva) vai ajudá-lo de alguma forma a assumir o cargo de deputado estadual, mas, vai continuar sonhando, ninguém quer ele lá na Assembleia”, disse o vereador.

A reação do vereador Deucimar Silva (PP) não é nenhuma novidade. Durante seu mandato como presidente do Parlamento, por várias vezes ele agiu de maneira apelativa. Sempre disse não ter medo de ninguém e que tinha “bala na agulha”, argumento muito utilizado para tentar intimidar seus pares.

OUTRO LADO

O vereador Deucimar Silva disse por telefone o colega se equivocou ao interpretar de outra forma o que aconteceu na tribuna. "Isso (a discussão) é um embate normal entre políticos", defendeu-se. Deucimar disse ainda que Antônio Fernandes exagerou e quer se autopromover com a situação. "Ele, quando eu era presidente da Mesa, sempre me atacava e nunca levei para o lado pessoal. Nunca parti para ignorância", finalizou.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

silvio arruda 02/05/2011

veja como esta esta casa de lei.depois ais pesquisa aponta odiscrédito desta casa perante a nossa polpulação.ois veriadores acham que estaõ asima da lei.isto é uma verdadeira palhaçada.não um parlamento queremos mais serenidade e resultado,isso que esta ai cuiabano já esta inchaquerado vão trabalha vagabundos.

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros