Quarta-Feira, 03 de Maio de 2017, 17h:35

Tamanho do texto A - A+

Mensagem de "boa noite" faz homem atirar na esposa seis vezes e matar amigo

Por: REDAÇÃO

O motivo de um assassinato por motivos passionais seguido de tentativa de homicídio na cidade de Tangará da Serra (distante 242km de Cuiabá) seria simplesmente por uma mensagem de "boa noite" no celular da esposa. O atirador, identificado e preso pela Polícia Rodoviária Federal, disse que desconfiava do relacionamento extraconjugal da  esposa com o amigo e por isso acabou pegando uma arma e cometendo o crime. 

 

Reprodução

POLICIA

 Crime ocorreu na cidade de Tangará da Serra

Micael Gonçalves Lima Loyola, 31 anos, foi preso na cidade de Jangada após cometer o crime e tentar fugir para Cuiabá. À delegada Liliane Diogo, responsável pela Delegacia de Defesa da Mulher de Tangará da Serra, o assassino confesso disse que começou a desconfiar após pegar o celular da esposa e ver que Pedro Franco teria dado boa noite a Patricia Maria Barbosa. 

 

"Ele disse, durante o interrogatório, que acreditava que estava sendo traído e foi tirar satisfação com os dois. Ele afirmou que viu mensagens de 'boa noite' entre os dois e troca de ligações e desconfiava da traição, mas as vítimas não confirmaram. Ele disse que se exaltou e deu vários tiros em cada um", afirmou a delegada ao site G1.

Conforme a delegada, o crime ocorreu na casa de Pedro. Ele teria marcado um encontro com Pedro junto com a esposa. "Esse encontro seria uma espécie de tocaia. Ele demonstra que veio aqui com intenção de matar os dois", disse um amigo de Micael, que preferiu não se identificar.

 

Chegando na casa Micael pegou o revólver e logo perguntou quem teria começado ou incitado a traição. Como ninguém respondeu, ele atirou no amigo, primeiro, que chegou a correr, mas acabou caindo e morrendo no local. Na sequência, ele atirou seis vezes contra a esposa e fugiu do local. A Polícia Civil aguarda a conclusão do exame de necropsia para saber por quantos tiros o amigo foi atingido.

 

Preso, Micael foi autuado em flagrante pela Polícia Civil de Jangada por homicídio qualificado e tentativa de feminicídio e foi encaminhado, em seguida, para a Cadeia Pública de Rosário Oeste, a 133 km da capital, onde deve permanecer à disposição da Justiça. A polícia comunicou o caso ao Juízo de Jangada, que deve analisar se o suspeito será solto ou se vai ser mantido preso.

 

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei - 1

Leia mais sobre este assunto