Parceiros Sexta-feira, 22 de Julho de 2022, 14:56 - A | A

Sexta-feira, 22 de Julho de 2022, 14h:56 - A | A

INDÚSTRIAS DE SEMENTES

Clareza e precisão nas finanças corporativas são indispensáveis ao sucesso do negócio

Foco deve estar na qualidade do produto e, também, na gestão das empresas, destaca especialista em novo módulo da Academia Abrass

REDAÇÃO

Um olhar criterioso para a semente e outro, cada vez mais, na matriz financeira dos negócios. O dia a dia da gestão de uma indústria de sementes também envolve controle de custos, de despesas e a busca por soluções para ampliar a lucratividade sem onerar demasiadamente o cliente, o produtor rural. Em tempos de alta de insumos e tantas variáveis que influenciam a produtividade colhida pelo sojicultor, empresas do setor sementeiro buscam na qualificação profissional a chave para o amadurecimento dos negócios.

O especialista em finanças corporativas Gabriel Vieira observa que há conceitos que, embora pareçam consolidados na rotina diária de transações financeiras e operações de produção de uma empresa, podem ser por vezes mal compreendidos e até mesmo classificados erroneamente no balanço financeiro de determinada organização. Por isso, balanço patrimonial, demonstração de resultado, fluxo de caixa operacional e autofinanciamento, margem de contribuição, controle preciso e tipos de estrutura financeira do negócio são pilares financeiros que devem ser estudados com atenção, fortalecendo os times financeiros e a alta gestão das empresas.

O tema foi evidenciado entre profissionais de indústrias de sementes instaladas em diversas partes do país, reunidas no mais novo módulo da Academia Abrass. O projeto é uma realização da Associação Brasileira dos Produtores de Sementes de Soja (ABRASS), com o apoio da multinacional Bayer e curadoria de conteúdos da MPrado.

O caminho de aprimoramento das finanças corporativas exige técnica e observação do negócio. Rafael Baleche, gerente administrativo da Bela Sementes, lembra que foi assim que alguns insights importantes melhoraram a relação entre equipes de vendas e financeiro, benefício ao negócio como um todo. “Nós percebemos no caminhar da gestão, por exemplo, que estávamos deixando de lado alguns pontos importantes, como a depreciação. Ela já me mostra antecipadamente o impacto nas despesas e investimentos que precisarão ser feitos lá na frente, então, por que vamos ignorar ela? Tivemos essa sacada em conjunto”, compartilha o aluno da Academia Abrass.

Facilitador do módulo, Gabriel Vieira lembra que cada negócio tem formas próprias de gestão e se atém mais profundamente a determinado indicador financeiro como ícone de sucesso. Contudo, quanto mais atenta a um maior número de indicadores financeiros uma organização está, mais chances de êxito e perenidade terá, indicam os especialistas. “Os indicadores financeiros são vários. Entre eles está, por exemplo, os de alavancagem financeira, e nesse conjunto há uma pergunta importante ao negócio: o que podemos fazer em nossa empresa para reduzir juros e aumentar a geração de caixa?”.

O módulo contou com a aplicação de exercícios práticos e enquetes, junto de dinâmicas em grupos online, oportunizando trocas e ampliando a aprendizagem coletiva. As abordagens contemplaram, inclusive, esclarecimentos sobre algo inerente aos objetivos de toda empresa inserida no livre mercado: o lucro. “Lucro é uma fonte, uma origem não-circulante. E mais: sócio não faz parte do negócio. Quem faz é fornecedor, cliente, colaborador. Por isso, lucros acumulados e lucros a distribuir fazem parte da liquidez do negócio, e devem ser vistos como uma obrigação”, alerta Vieira.

Lições partilhadas, o próximo passo é multiplicar dentro das empresas. Deliane Lemes, supervisora administrativa da Agrex Sementes, conta que a simplicidade e clareza nas exposições fazem a diferença na retenção dos conteúdos aplicados. “Tenho gratidão por participar desse módulo, que foi excelente, muito agregador em conhecimento. Tivemos clareza e tranquilidade na abordagem de um tema que não deixa de ser complexo. Precisamos dessa simplicidade e clareza na nossa área e tivemos isso no curso, junto de uma sinergia e integração de todos que estavam presentes. A Academia Abrass está de parabéns!”.

Reorganização das contas - As lições nesta rodada da Academia Abrass se basearam no chamado Modelo Fleuriet, cunhado pelo francês de mesmo nome. Reconhecido mundialmente, é utilizado para avaliação da liquidez e estrutura de financiamento e é um importante instrumento de análise para tomada de decisões financeiras. O Modelo Fleuriet é baseado em avaliações dinâmicas do comportamento dos elementos patrimoniais de curto prazo e recomenda, como premissa, a reorganização das contas do balanço patrimonial e de outros relatórios contábeis para um formato que favorece a rápida visualização da saúde financeira da empresa.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros