Mundo Quinta-feira, 29 de Setembro de 2011, 14:59 - A | A

Quinta-feira, 29 de Setembro de 2011, 14h:59 - A | A

MANIFESTAÇÃO

Estudantes chilenos voltam a protestar por melhorias no ensino público do país

Chile foi palco da 36ª marcha estudantil por um ensino público gratuito e de qualidade na manhã desta quinta-feira

DA ANSA

O Chile foi palco da 36ª marcha estudantil por um ensino público gratuito e de qualidade na manhã desta quinta-feira, dois dias após as entidades representativas aceitarem o estabelecimento de uma mesa de diálogo com o governo.

A marcha foi convocada pela Confederação de Estudantes do Chile (Confech) e partiu da Universidade de Santiago, na zona oeste da capital, passou pela Alameda, principal via da cidade, em direção à Faculdade de Engenharia da Universidade do Chile.

Mario Ruiz/Efe

Centenas de estudantes participam de marcha nesta quinta-feira em Santiago por melhorias no ensino público

A presidente da Confech, Camila Vallejo, declarou à imprensa que o objetivo da manifestação é demonstrar pressão do movimento estudantil chileno sobre a Lei do Orçamento, que deverá ser analisada em breve.

Ela acrescentou que espera que o Executivo não insista em colocar como condição para o diálogo a volta às aulas.

De acordo com o jornal chileno La Tercera, nesta manhã, o ministro da Educação, Felipe Bulnes, esteve reunido com reitores das universidades do país para tratar sobre o retorno às atividades escolares.

O protesto teve adesão de trabalhadores da saúde e, segundo os carabineiros (policiais militares), o ocorreu de forma pacífica pelas ruas da capital. Só houve incidentes isolados, sendo que em um deles os oficiais tiveram que usar carros de água e gás lacrimogêneo para conter os manifestantes.

A greve estudantil, que já dura cinco meses, conta com apoio de 89% da população, enquanto o presidente Piñera é aprovado por apenas 22%, o menor nível de um chefe de governo desde a redemocratização do Chile.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros