Quinta-feira, 18 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,48
euro R$ 6,00
libra R$ 6,00

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,48
euro R$ 6,00
libra R$ 6,00

Justiça Terça-feira, 19 de Março de 2024, 09:50 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Terça-feira, 19 de Março de 2024, 09h:50 - A | A

OPERAÇÃO GRAVATAS

Prints mostram "prensa" do CV em advogada presa: "quer se envolver, vai ser tratada igual"

Faccionados estavam insatisfeitos com o trabalho de Hingritty Borges Mingotti, apontada como membro do "braço jurídico" da facção

RAYNNA NICOLAS
Da Redação

Prints mostram faccionados do Comando Vermelho (CV) elaborando uma 'advertência' à advogada Hingritty Borges Mingotti, presa na 'Operação Gravatas', por atuar como 'braço jurídico' da organização criminosa. De acordo com relatório da Polícia Civil, Hingritty foi 'escalada' pelo suposto líder do setor, o advogado Roberto Luís de Oliveira, para acompanhar presencialmente os presos da facção. Contudo, os membros do CV no médio Norte teriam ficado insatisfeitos com a 'falta de atenção' dada por ela aos 'irmãos' da organização criminosa e planejavam interromper os serviços. Na ocasião, as lideranças ameaçaram tratar Hingritty de 'igual para igual', de acordo com as leis do crime.

Conversa interceptada se deu entre duas lideranças do CV, Thiago Telles e Paulo Henrique Campos, o 'Noturno', membros da alta cúpula do tráfico nas cidades de Tapurah e Itanhanguá. 

Na conversa, 'Noturno' relata a Thiago Telles que, 'da última vez', Hingritty não desempenhou o acompanhamento presencial dos presos e atendeu somente por ligação. "Na minha opinião, ela tem que fazer o trabalho para nós e sem ficar perguntando muita coisa, entendeu? Muita especulação, tá ligado? Muita falação [sic]", diz trecho da mensagem.

Diante da queixa, Thiago Telles pede que Paulo Henrique elabore um relatório dizendo sobre a insatisfação do quadro disciplinar do CV com o trabalho da advogada. "Se ela quer ser do crime, quer se envolver, nois vai tratar ela igual criminosa, pois pra nóis ela não é, mas se ela quiser vai ter que seguir nossas regras do crime, punição de igual e só [sic]", consta do comunicado enviado à advogada.

A partir de então, a advogada ficou avisada sobre o acompanhamento mensal dos trabalhos dela sob o risco de ser 'demitida' da facção. 

RECUPERAÇÃO DE ARSENAL 

Segundo o relatório da Polícia Civil, Hingritty Borges Mingotti também foi a advogada que intermediou a recuperação de um arsenal bélico do Comando Vermelho. 

LEIA MAIS: Advogada ajudou CV a recuperar arsenal com armas, munições e bananas de dinamites, diz relatório

A pedido de Thiago Telles, a advogada entrou em contato com a esposa de outro membro da organização criminosa, Luis Fernando, o 'Loro', para recuperar o arsenal, que incluía dezenas de bananas de dinamite, antes da chegada da polícia. 

A antecipação da abordagem também foi possível, coforme o relatório da polícia, pelas informações privilegiadas obtidas pelos faccionados por meio do 'braço jurídico' que acessava os processos eletrônicos e repassava o andamento das investigações aos criminosos. 

Reprodução

prensa dra hingritty

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros