Justiça Sexta-feira, 25 de Março de 2011, 19:08 - A | A

Sexta-feira, 25 de Março de 2011, 19h:08 - A | A

Ministro da Justiça defende criação de sistema nacional de indicadores sobre crimes

Sitema serviria como base para a elaboração de políticas públicas de combate à violência

Vinicius Konchinski / Agência Brasil

São Paulo – O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou hoje (24) que o Brasil precisa de um sistema nacional de informações sobre crimes. Segundo ele, esse sistema tem que reunir informações sobre ocorrências policiais de todos os estados e deve servir como base para a elaboração de políticas públicas consistentes de combate à violência.

“Nós precisamos organizar um sistema nacional de informações que permitam ao governante ter a análise, se possível em tempo real, da ocorrência da criminalidade”, afirmou Cardozo. “Se nós não soubermos onde há aumento de criminalidade, onde há redução de criminalidade, nós não teremos condições de fazer uma política equânime focada no combate dos atos ilícitos”, completou.

O ministro participou na tarde de hoje (24) de um seminário sobre segurança pública promovido pela Fundação Armando Alvares Penteado (Faap), em São Paulo. Cardozo afirmou que o planejamento é essencial para a busca de uma solução para o problema da violência do país. Esse planejamento, disse o ministro, depende de informações que, neste momento, não estão disponíveis.

Em sua palestra, Cardozo citou o Mapa da Violência, divulgado este ano pelo Ministério da Justiça. O estudo traz estatísticas sobre o índice de homicídios nos estados. Porém, os números publicados são referentes a 2008, portanto, desatualizados.

Por isso, o ministro da Justiça disse que trabalha para criar um banco de dados nacional “o mais rapidamente possível”. Quando ele estiver pronto, o governo federal poderá investir mais nos estados e municípios com piores indicadores de criminalidade.

“Quando tivermos esse sistema, tudo será feito de uma tal forma que os critérios de alocação de verbas e elaboração de políticas ficarão claros”, afirmou. “Enquanto não tivermos este sistema, tudo fica um pouco pela intuição daquele que governa.”

Cardozo disse também que o combate à violência depende da integração entre a União, os estados e municípios. A repressão e a prevenção, disse, precisam ser feitas de forma organizada para melhor resultado dos investimentos.

O ministro afirmou que tem percorrido vários estados em busca de parcerias. E, em alguns deles, como o Paraná e Alagoas, convênios já foram firmados entre os governos federal e estadual. Esses acordos, segundo Cardozo, têm gerado resultados positivos no combate à criminalidade.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros