Sexta-feira, 17 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,13
euro R$ 5,58
libra R$ 5,58

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,13
euro R$ 5,58
libra R$ 5,58

Justiça Quarta-feira, 05 de Outubro de 2016, 14:47 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quarta-feira, 05 de Outubro de 2016, 14h:47 - A | A

FILHOS DE GEPETO

Deputado depõe no Gaeco enquanto chefe de gabinete é levado para a cadeia

REDAÇÃO

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) confirmou, nesta quarta-feira (5), o cumprimento de mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão expedidos pela Vara Especializada de Combate ao Crime Organizado contra o servidor da Assembleia Legislativa, Francisvaldo Mendes Pacheco, chefe de Gabinete do deputado Romoaldo Júnior (PMDB).

 

O investigado foi conduzido para prestar depoimento na sede do Gaeco e posteriormente levado para realizar exames no Instituto Médico Legal (IML). Após os exames, Francisvaldo foi levado para o Centro de Custódia da Capital (CCC).

 

A prisão faz parte da segunda fase da operação Ventríloquo, denominda de Filhos de Getepo. O Ministério Público também ofereceu denúncia contra Francisvaldo  pela prática dos crimes de constituição de organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro. Ainda figura na denúncia o advogado Julio Cesar Domingues Rodrigues pela prática do crime de extorsão.

 

A denúncia aponta que entre 2013 e 2014 os investigados, além de Francisvaldo e Julio Cesar, o ex-deputado José Riva, e os servidores do Legislativo Anderson Flavio de Godoi, Luiz Marcio Bastos Pommot, Joaquim Fábio Mielli Camargo constituíram uma organização criminosa estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas com o objetivo de desviar  recursos públicos do Parlamento.

 

Outros parlamentares

 

A denúncia aponta o envolvimento de outros parlamentares. Porém, os nomes não foram divulgados pela imprensa devio o foro privilegiado.

 

Sobre a denúncia 

 

Consta ainda que, formatada a organização criminosa, inclusive com clara divisão de papéis, no período compreendido entre fevereiro e abril de 2014, os investigados subtraíram dinheiro R$ 9.480.547,69  em proveito próprio e alheio. Eles se valeram da facilidade que proporcionava a condição de funcionários públicos de alguns de seus membros.

 

Foi constatado também que no mesmo período os investigados, em continuidade delitiva, ocultaram e dissimularam a natureza e a origem dos valores provenientes de infração penal. Julio Cesar Domingues Rodrigues, José Geraldo Riva, Anderson Flavio de Godoi e Luiz Marcio Bastos Pommot já haviam sido denunciados pelos crimes mencionados, cuja ação penal encontra-se em fase final de instrução processual.

 

Delação revogada 

  

Conforme a assessoria do MPE, os promotores que integram o Gaeco com pedido de rescisão da colaboração premiada firmada com Joaquim Fabio Mielli Camargo.

  

Segundo os integrantes do Gaeco, as razões apontadas são suficientes para embasar o pedido de prisão preventiva de Francisvaldo.

 

Depoimento de Romoaldo

 

O deputado estadual Romoaldo Júnior foi intimado pelo Gaeco para depor como testemunha na tarde desta quarta-feira (5) sobre o caso. Segundo o advogado Francisco Faiad, Romoaldo negou envolvimento com o esquema investigado, que teria acontecido durante o período em que o parlamentar presidiu a Assembleia Legislativa.

 

Romoaldo ocupava o cargo, em substituição a José Riva, afastado da presidência na época por força de decisão judicial.  Segundo o parlamentar, ele não teria participado de nada. Após o depoimento, que durou quase duas horas, Romoaldo disse à imprensa que não sabia da prisão do seu chefe de gabinete, Francisvaldo Pacheco. 

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

jamil 05/10/2016

- Dessa vez quase saiu a prisão do chefe dele. Tirou tinta... Apos o dia 13, quando o RIVA falar, aí, não sei não.....

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros