Empreendedor Sexta-feira, 14 de Outubro de 2011, 18:11 - A | A

Sexta-feira, 14 de Outubro de 2011, 18h:11 - A | A

CASE DE SUCESSO

Farmácia Nossa Senhora de Fátima: mais do que medicamentos, vidas

Uma das líderes no segmento de farmácia de manipulação, empresa já atendeu mais de um milhão de clientes em Mato Grosso

Salvador de vidas ou a ruína delas. Estas são as características primordiais dos medicamentos. Dependendo da dose em que ele é tomado pode recuperar a saúde de alguém ou mesmo provocar sérias reações. Por isso, a preocupação com o que se ingere e a forma com que este remédio é produzido são indispensáveis tanto para o paciente quanto para o fabricante. É mais que pensar em produzir medicamentos, empresas que realizam este trabalho precisam pensar em salvar vidas e esse é o principal lema da Farmácia Nossa Senhora de Fátima.

Há 28 anos no segmento de farmácia de manipulação, a Nossa Senhora de Fátima se tornou realidade depois do sonho de um casal: Lázaro e Cleula Borges. Nascido em Jataí, Goiânia, Lázaro chegou a Cuiabá em 1980. Funcionário de uma grande empresa de fabricação de cerveja, o jovem que era administrador de empresas, veio transferido de São Paulo para a Capital e aqui começou a reconstruir a sua vida. Casado, mas sem contar com a presença de sua esposa Cleula, que permaneceu em Goiânia para finalizar o curso de farmácia, ele se viu em meio a dificuldades presentes na nova cidade: sem esposa, sem amigos, sem conhecer nada. “Foi uma aventura. Cuiabá era pequena e pouco desenvolvida”, assegura.

Com força de vontade, ele permaneceu em Cuiabá trabalhando na cervejaria, mas com uma meta. “Sete anos. Esse foi o tempo que eu estabeleci como meta para permanecer na empresa onde eu trabalhava. Se nesse período eu já tivesse conquistado bens, construído um patrimônio e estivesse bem financeiramente, eu permaneceria na empresa. Caso contrário, partiria para o meu próprio negócio”, lembra. E o tempo passou, mas administrador se manteve firme em seu propósito.

Passado cinco anos, Lázaro deixou a cervejaria em 1985. Como já havia trabalhado há três anos e meio na empresa antes de chegar a Cuiabá, quatro anos era o que faltavam para o administrador atingir a meta estabelecida. E assim o fez. Depois dos sete anos na empresa, poucas eram as conquistas e deixar o emprego era a solução para que Lázaro pudesse crescer, mas ele ainda permaneceu por mais um tempo na cervejaria. Afinal, ele era um pai de família e abrir mão de tudo não era o mais sensato a se fazer. Já com a presença de sua esposa, pois ela chegou a Cuiabá um ano depois de Lázaro, ele resolveu investir em outra área, outro trabalho, outro segmento.

Além da força jovem e da vontade de construir um futuro juntos, ambos congregavam o mesmo sentimento que transformou a vida do casal: queriam ter seu próprio negócio. Mas a dúvida girava em torno do que fazer. Com experiência em administração adicionada as habilidades farmacêuticas de sua esposa, o casal ousou especialmente naquela época em que tudo que se pensava em fazer era novo e os riscos evidentes. Em uma tentativa ousada para a época, Lázaro e Cleula resolveram abrir uma farmácia de manipulação: a Nossa Senhora de Fátima Manipulação e Homeopatia em 1984, paralelo ao trabalho que realizava na cervejaria.

Fotos: Mayke Toscano/Hipernotícias

A escolha pode parecer bem viável já que Cleula é farmacêutica, mas porque manipulação? Um segmento tão exigente de cuidados, atenção e responsabilidade, este trabalho, se pensado pelos benefícios não é tão atraente, afinal remédios podem matar. Mas isso não assustou Lázaro e Cleula. Cientes de que dedicação seria a palavra de ordem, eles deram início aos trabalhos da farmácia, embora este seja um segmento em que crescimento é quase que inesperado, segundo Lázaro Borges. “Farmácia não tem espaço para crescer. Ela não consegue ter lucro e ganhar dinheiro, pois trabalhamos com vidas de pessoas que realmente precisam do nosso serviço. Trabalhar com medicamentos é praticamente um sacerdócio”, garante.

E assim deu início a Nossa Senhora de Fátima que estava apenas começando, mas já profundamente arraigada nos bons valores humanos e princípios do trabalho como fonte permanente de seu avanço dentro da sociedade.

O COMEÇO DE TUDO

Considerada mais do que uma simples farmácia, mas uma indústria que trabalha com a diversidade de produtos, pois cada medicamento manipulado é único, a empresa começou a criar a sua forma de atuar no mercado. Sua política de qualidade objetivando a contínua satisfação dos clientes e funcionários começou a ser implantada nesse período e até hoje se mantém como alicerce da empresa.

Lázaro lembra que essa foi somente a primeira missão a ser estabelecida. Superar as expectativas dos clientes em relação à qualidade dos produtos e serviços; Promover o bem-estar e o contínuo aprimoramento humano e profissional de seus funcionários; corresponder às expectativas dos nossos fornecedores através da continuidade da oportunidade de negócios; manter um comportamento ético e responsável nas relações com clientes, funcionários, fornecedores, concorrentes, órgãos governamentais, comunidade e meio ambiente são ações que se tornaram prioridade para os donos e funcionários da farmácia.

Além disso, outros pontos valores e princípios também fazem parte da empresa. Desenvolver, produzir e comercializar medicamentos e cosméticos com tecnologia avançada, que atendam plenamente às expectativas dos profissionais de saúde, proporcionando qualidade de vida aos clientes e colaboradores é a principal missão. “Tudo que fazemos se resume na qualidade total nos produtos manipulados”, explica.

Tudo isso foi pensado para que a empresa oferecesse o melhor aos clientes. Isso porque a empresa ainda era pequena com somente cinco funcionários, entre eles, o casal fundador da farmácia. Com a boa aceitação que os cuiabanos tiveram com a empresa, ela começou a se deslanchar no mercado. De início, a possibilidade de abrir outras filiais da farmácia em sociedade surgiu, mas logo a ideia foi descartada. Mas não totalmente. O que foi deixado de lado foi o pensamento de parceria. Mas isso ainda não podia ser feito, pois o administrador ainda não estava com a empresa sólida, em um terreno seu, com suas garantias.

Com oito anos da empresa funcionando ativamente, Lázaro já possuía condições para estruturar a empresa na Avenida Isaac Póvoas. “Em 1991 eu já tinha a estrutura montada. Comprei o terreno e edifiquei a empresa que antes era muito pequena. Após isso, ela cresceu rapidamente, principalmente porque o
Estado estava em expansão e as pessoas que iam para o interior usavam muito os medicamentos fitoterápicos”, afirma.

Após mais alguns anos de atuação, Lázaro já possuía financeiro para abrir outra filial da farmácia sem que para isso precisasse entrar em uma sociedade. Assim, em 1996 ele abriu a loja no Shopping Três Américas. “Escolhemos abrir no shopping, pois pensávamos na locomoção dos nossos clientes do outros cantos da cidade. O centro sempre teve trânsito complicado”, assegura.

MAIS QUE DIFERENCIAL

Em meio a tanta singularidade da empresa na construção dos seus pilares éticos, o atendimento é mais do que um diferencial. Lázaro lembra que por várias vezes já levantou de madrugada para atender os clientes. Formular medicamentos para alívio das crianças e pais era recorrente nas madrugadas do casal, especialmente, porque, no começo, eles moravam próximos a farmácia. O administrador e proprietário da Nossa Senhora de Fátima explica que isso vai além da busca por lucro, a busca era e ainda é pelo bem estar dos clientes. “Hoje percebemos que o nosso maior lucro e o melhor dentre os resultados de tudo isso, é ver o alívio e cura dos clientes”, conta.

RESPONSABILIDADE SOCIAL

Priorizando da intensa busca pela melhor qualidade vida dos clientes, a responsabilidade social se tornou também uma das prioridades da empresa. Campanhas educativas contra o combate ao fumo, a hipertensão, a participação do Projeto Sol, Calor e Proteção que tem o objetivo de conscientizar a população de Cuiabá sobre a necessidade do uso constante do filtro solar foi uma das práticas que a empresa já realizou. Além disso, a participação de projetos que realizam ações sócio-educativas, artísticas, culturais e econômicas, em bairros considerados desnivelados na pirâmide social como Vozes e Música na Dança da Vida, Projeto Flauta Mágica demonstram o zelo que a Farmácia possui para com o próximo, mesmo com simples atitudes.

HOJE

Com praticamente um milhão de pessoas atendidas em toda a existência da empresa, a Farmácia emprega 60 funcionários nas suas duas lojas. A loja do centro possui uma estrutura de 1.200 metros quadrados e conta com um Centro de Desenvolvimento e Consultoria Farmacêutica que foi criado em 2006 para desenvolver materiais de divulgação médica, buscando inovações em tecnologia farmacêutica para pacientes e tratamentos diferenciados.

Além disso, possui a equipe técnica com 48 funcionários entre eles farmacêuticos, especialistas em manipulação magistral alopática e homeopática, e capacitados para planejar e executar a manipulação do medicamento personalizado com segurança. Isso demonstra a eficácia dos medicamentos produzidos, especialmente quanto aos fornecedores que são escolhidos e classificados em parceria com a Anfarmag que realiza auditorias para verificação do cumprimento das normas de boas práticas de fabricação ou de fracionamento e distribuição de insumos.

Outra característica marcante da empresa hoje é que a Farmácia Nossa Senhora de Fátima atende a todas as especialidades médicas com mais de 3 mil matérias-primas certificadas e armazenadas em um ambiente com sistema de controle de temperatura e umidade em período integral assegurando a qualidade dos produtos.
Tudo isso demonstra a preocupação da Farmácia  em atender e oferecer produtos com qualidade sempre visando o bem mais precioso de todo ser humano: a vida com saúde!

Para Lázaro Borges da Silva empreender é: coragem!

1. Dica para quem quer iniciar um empreendimento

A dica é não montar uma empresa que já existe aos montes. É necessário procurar algo novo. Há tantas possibilidades. Além disso, é necessário o foco no cliente. Descobrir do que ele gosta e precisa. Afinal, ele sustenta qualquer organização. Mas é preciso, ainda, a busca por tendências de mercado. O conhecimento em todas as áreas.

2. O Custo Brasil é realmente um obstáculo para o empreendedor?

É um desafio grande. Quando comecei era menos imposto, porque o governo não tinha um certo controle e esse dinheiro ajudou a capitalizar as empresas. Mas hoje é muito mais difícil começar uma empresa, pois elas gozam dos benefícios de pagar menos impostos e isso significa menos dinheiro que poderia ser investido em outra coisa. É preciso administrar a empresa da melhor forma, senão ela quebra.

3. O que é mais importante: dinheiro ou criatividade?

É preciso criatividade. Com criatividade se consegue parceiros que possuem o dinheiro. Tem gente que tem dinheiro, mas não tem criatividade e vice e versa. Por isso, é indispensável começar com criatividade para se ter uma boa empresa.

4. O que é mais difícil: fidelizar um cliente ou conquistar um novo?

Nesta área, é difícil conquistar um cliente novo. Fidelizar os clientes é bem mais fácil, especialmente porque comercializarmos medicamentos. E os nossos clientes e suas famílias permanecem conosco, pois temos a política não somente de tratar as doenças, mas de preveni-las.

5. Qual o diferencial?

É o atendimento. Se o atendimento é bom, as pessoas voltam. O mercado é amplo e as empresas crescem cada vez mais, e se não houver um bom tratamento a quem você atende, você acaba sendo descartado das opções daquele cliente.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

jose luiz de morais 20/09/2012

meu amigo lazaro sou jose luiz o beka aqui de jatai sera que vc lembra de mim , fomos amigos de infancia, foi ver vc ai na sua farmacia um abraço

Paulo Mattos 02/12/2011

Parabéns pela matéria, parabéns à farmácia de manipulação, parabéns a seus profissionais e ao atendimento dado à população cuiabana. Mas, amigos do Hiper, não seria a hora (já bastante passada é bem verdade) de retirar essa matéria, e bem assim a do Restaurante Adriano, da primeira página do site e colocar outras mais atualizadas, ainda que reverenciando grandes comerciantes que possuimos em nossa Capital ? Fica a minha desprentensiosa sugestão e o meu agradecimento pela atenção do site.

2 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros