Copa Pantanal Quinta-feira, 06 de Outubro de 2011, 15:49 - A | A

Quinta-feira, 06 de Outubro de 2011, 15h:49 - A | A

OBRAS DA COPA

Explicações da Secopa não convencem e ausência de Eder frustra vereadores

Presidência da Câmara explica que convocação do secretário estava marcada para 9 horas e Eder saiu 10 minutos antes, deixando claro que não queria participar; técnicos se esforçaram para mostrar trabalhos mas, na realidade, de concreto mesmo só Arena Pan

NOELMA OLIVEIRA

 

Mayke Toscano/Hipernotícias

Vereadores disseram que não ficaram convencidos das explicações dada pelos técnicos da Secopa

 

As explicações dos técnicos da Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa), durante a sessão desta quinta-feira (6) pela manhã, não convenceram os vereadores. A frustração estava explícita na reação dos parlamentares, principalmente pela ausência do titular da pasta, Eder Mores.

Eder chegou à Câmara por volta das 8h da manhã. O presidente da Comissão de Acompanhamento das Obras da Copa, vereador Edivá Alves (PSD), disse que recebeu os técnicos e abriu a sessão e em seguida a suspendeu para que os parlamentares pudessem, segundo ele, continuar na reunião convocada pelo presidente da Casa, Júlio Pinheiro (PTB).

Eder deixou o Palácio Paschoal Moreira Cabral por volta das 8h50, alegando que o governador Silval Barbosa (PMDB) o havia convocado para uma reunião para tratar de “assuntos governamentais”. Edivá, autor do requerimento pedindo explicações sobre as obras da Copa em Cuiabá, afirmou que o combinado era para Eder comparecer às 9hs. “Ele se antecipou”, afirmou.

O presidente da Câmara ficou apenas por cerca de 15 minutos em plenário, sem conduzir os trabalhos da Mesa Diretora, que ficou sob o comando do peemedebista Arnaldo Penha. Os secretários-adjuntos da Secopa, Marcelo Oliveira, conhecido por “Marcelo Padeiro” (Infraestrutura), Djalma Sabo Mendes (Desapropriações) e Maurício Guimarães (Executivo) foram os responsáveis pela explanação dos projetos, além dos engenheiros João Paulo e Rafael Detoni. Pelo menos 10 técnicos, entre os adjuntos, faziam parte da comitiva da Secopa.

Por cerca de três horas, os técnicos da Agecopa apresentaram, com imagens ilustrativas, gráficos e mapas, as obras que deveriam ser executadas em Cuiabá. As imagens ilustrativas eram de encher os olhos. Porém, na prática, pelo que foi mostrado – também de conhecimento público – apenas a construção da Arena do Verdão está em pleno curso. As demais ficaram apenas no campo teórico.

O vereador Toninho de Souza (PSD) após duras horas de exposição técnica fez uma intervenção e cobrou que fossem dadas explicações efetivas ao andamento das obras, já que a apresentação estava se tornando maçante. A sugestão não foi acatada por Arnaldo Penha, que dirigia a mesa.

Além de Edivá e Toninho, os vereadores Domingos Sávio (PMDB), Lúdio Cabral (PT), Clovito Hugueney (PTB), Francisco Amorim (PR), o Chico 2000, e pastor Washington Barbosa (PRTB) expuseram insatisfação com o que foi apresentado.

QUESTIONAMENTOS

As obras de mobilidade urbana, a implantação do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) e as desapropriações foram os principais questionamentos dos vereadores. Cada um teve direito a 3 minutos para as perguntas.

Os questionamentos dos vereadores praticamente ficaram sem respostas concretas. Já que não existe projeto pronto sobre o VLT, pois está em fase de elaboração. Não existem valores para as desapropriações e em apenas em um caso específico, Djalma Sabo Mendes disse que as famílias serão remanejadas com o menor impacto social.

Edivá disse que esperava uma exposição com um contexto cronológico das obras, dos projetos em licitação, do que serão licitados, ou seja, mais global. “Não estou desprezando a discussão técnica, mas precisava apontar no projeto do VLT, onde está sendo elaborado, por quem e porque este modal desapropria menos”, questionou Edivá.

OPINIÕES

Lúdio aproveitou para apresentar um vídeo de 42 segundos, que mostra a miséria no bairro Jardim União, sem a menor infraestrutura urbana. “Não adianta fazer grandes obras sem resolver os problemas reais de infraestrutura de Cuiabá”.

Para Toninho, a apresentação ficou comprometida sem a presença de Eder. “Daria mais peso para as respostas. Ele é que sabe o que efetivamente está sendo feito até porque ele trata de orçamento”, salientou. O vereador também observou a falta de respostas práticas.

Já o vereador Deucimar Silva (PP) foi o mais ponderado. Agradeceu a presença dos técnicos e ainda questionou o fato da pequena presença dos parlamentares em plenário. Segundo ele, os que mais cobram não estavam presentes.

Por volta de meio-dia, apenas Toninho, Edivá, Lúdio, Pastor Washington, Totó Cesar (PRTB), Lueci Ramos (PSDB), além de Arnado Penha, acompanharam as explicações técnicas.

Comente esta notícia

Gervásio Pereira 06/10/2011

Eu fui na Câmara e vi o secretário Eder esperando quase uma hora. Nenhum nobre vereador estava no plenário, todos no gabinete do presidente. Depois ficam reclamando que não tem informação...é brincadeira, com vereadores assim quem precisa de legislativo?

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros