Sábado, 18 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

Cidades Sexta-feira, 26 de Agosto de 2016, 16:59 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sexta-feira, 26 de Agosto de 2016, 16h:59 - A | A

CASO ERICKA

Travesti morreu por dívida de R$ 20 com tráfico de drogas, aponta delegado

MAX AGUIAR

O delegado André Renato Gonçalves, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), confirmou que já tem a identidade do autor do assassinato da travesti Ericka, executada na tarde de quinta-feira (25), na Rua 28 do bairro Pedra 90, em Cuiabá. Segundo o delegado, o autor do crime entrou na casa da vítima, atirou e fugiu de moto. 

 

Marcos Lopes/HiperNotícias

serial killer/DHPP/polícia/homicídio/André Renato

Delegado André Renato é o responsável pelo inquérito da morte da travesti no Pedra 90

O crime chocou a população do bairro, tendo em vista que a travesti é uma das moradoras mais antigas do bairro e sempre participava de eventos sociais. 

 

A ocorrência teria acontecido após Werik Rafik Pinto de Arruda, 30 anos, conhecida por Ericka, ficar devendo R$ 20 para um traficante da região. Ela era usuário de entorpecente e fazia programas sexuais para sobreviver.

 

"Foi um acerto de contas e tivemos testemunha ocular. A travesti estava deitada no sofá da casa e foi surpreendida pelo criminoso, que atirou e fugiu. Temos o suspeito e agora vamos trabalhar com a sua prisão o mais rápido possível. A dívida era de R$ 20, segundo familiares", comentou o delegado. 

 

A mãe de Erika falou sobre o motivo e achou uma barbaridade matarem seu filho por apenas R$ 20. "Se me procurassem eu tinha pago essa dívida. Estou sentindo a pior dor da minha vida", disse a mulher enquanto o corpo de Ericka era levado ao IML de Cuiabá.

 

O CASO

 

Ericka levou dois tiros enquanto estava na sala da casa onde residia, no Pedra 90. O crime ocorreu às 17h, próximo a uma escola de educação infantil do bairro. 

 

Os disparos acertaram o peito e o pescoço da travesti que teve morte instantânea. O caso está sendo investigado pela DHPP.  

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros