Sábado, 20 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,60
euro R$ 6,10
libra R$ 6,10

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,60
euro R$ 6,10
libra R$ 6,10

Cidades Segunda-feira, 24 de Junho de 2024, 10:28 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Segunda-feira, 24 de Junho de 2024, 10h:28 - A | A

NESTA SEMANA

Professores da UFMT farão assembleia para definir se encerram greve

Associação dos Docentes informou não ter uma data marcada; movimento nacional finalizou paralisação

JOLISMAR BRUNO
Da Redação

Os professores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), representados pela Associação dos Docentes (Adufmat), devem decidir ainda nesta semana sobre o fim da greve. Uma assembleia está para ser marcada ainda nesta semana, ocasião em que a pauta será discutida. Os profissionais paralisaram as atividades há pouco mais de um mês, tendo como reivindicações reajuste salarial e aumento no orçamento das universidades. 

O fim da greve entrará como pauta para discussão em razão de o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) ter decidido por encerrar o movimento nas instituições de ensino superior, em reunião neste domingo (23). As atividades devem ser retomadas até 3 de julho. Contudo, cada universidade, por meio do comando de greve local, tem autonomia para para decidir se encerra a greve ou não.

HiperNotícias falou com a Adufmat, que explicou ainda não haver uma data definida para a assembleia em que será discutido o fim da greve. 

Segundo explicou Wesley da Mata, do Diretório Central dos Estudantes da UFMT (DCE), a decisão da Andes não é automática. 

"Cada universidade tem sua seção sindical, como na UFMT, temos a Adufmat. Ela tem que fazer uma assembleia e ser colocado esse ponto de pauta. Exista autonomia dos docentes locais para decidir se eles vão ou não sair de greve. Isso não acontece de forma automática. Depende da liberação da assembleia da Adufmat, que deverá ser convocada nos próximos dias para fazer uma análise sobre a situação", explicou. 

O governo Lula (PT) ofertou um reajuste em duas parcelas, a serem pagas nos próximos dois anos, sendo 9% em janeiro de 2025 e 3,5% em abril de 2026. Não teve acordo para reajuste neste ano de 2024.

Na semana passada, os professores da Universidade Federal de Mato Grosso não aceitaram a proposta do governo federal.

 

Na UFMT, os professiores estão em greve há pouco mais de um mês. Os Técnicos-administrativos da Educação (TAE) também estão em greve na instituição. 

LEIA MAIS: professores da UFMT aprovam greve geral a partir de segunda-feira em todos os campi

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Ilusão 24/06/2024

Professores ou V4g4bund0s ? Não sei mais o que são. Mas sei que fizeram o L

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros