Sábado, 25 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,61
libra R$ 5,61

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,61
libra R$ 5,61

Cidades Terça-feira, 08 de Novembro de 2016, 15:30 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Terça-feira, 08 de Novembro de 2016, 15h:30 - A | A

AJUDE A DENUNCIAR

Polícia Civil divulga retrato falado de estuprador que age na região do CPA

REDAÇÃO

A Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica) divulgou nesta terça-feira (08) o retrato falado de um homem suspeito de cometer pelo menos três estupros na região do CPA, em Cuiabá, vitimando crianças de 07 a 10 anos de idade.

 

PJC

ESTUPRADOR

 

O suspeito age nas proximidades de escolas. Ele aborda crianças em uma motocicleta Fan cor preta, e inicia conversa perguntando se conhecem uma pessoa com um nome aleatório. Por coincidência, em alguns casos, os estudantes conhecem alguém com o nome dito pelo investigado, o que gera aproximação da criança com o agressor.

 

Em outros casos, o suspeito chega a oferecer dinheiro, cerca de R$ 5 reais, para que a criança compre doces, com o objetivo que a vítima se aproxime dele.

 

O mais recente estupro aconteceu na manhã do dia 03 de outubro quando uma menina de 10 anos de idade aguardava em um ponto de ônibus no bairro Nova Canaã, em Cuiabá.

 

Na delegacia, a vítima contou que o homem perguntou se ela conhecia R* (nome de uma mulher) e ela se recordou que havia uma mulher em sua rua com esse nome e passou a conversar com o suspeito. Quando se aproximou da motocicleta ele a obrigou a subir, dizendo que caso contrário a mataria. O homem a levou para uma casa abandonada, próxima a região da Ponte de Ferro, onde estuprou a menina.

 

Há relatos de mães que estavam próximas aos colégios e ao, avistarem ao longe a ação do suspeito, gritaram e chegaram a impedir que seus filhos subissem na moto do criminoso.

 

Assim que notificada sobre os estupros, a Deddica realizou uma série de diligências e abordagens a suspeitos com características físicas semelhantes ao estuprador, no entanto, até o momento nenhum deles foi reconhecido pelas vítimas. Além disso, testes em amostras de DNA dos investigados ainda não apontaram a identidade do agressor.

 

Denúncia

 

A Polícia Judiciária Civil ressalta que ao suspeitar de alguém com características físicas semelhantes às do investigado, o procedimento é acionar o Disque-Denúncia, via 197, ou por meio do telefone da Deddica (65) 3901-5700, que vai apurar, com rigor técnico, a veracidade da autoria delitiva.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros